[resenha] O Físico

16 de julho de 2011 - sábado - 16:37h   ¤   Categoria(s): Literatura estrangeira, Resenhas, Romance

O FísicoTítulo: O Físico
Título original: The Physician
Autor: Noah Gordon
País: EUA
Ano: 1986
Editora: Rocco
Tradutor: Aulyde Soares Rodrigues
Páginas: 590
Sinopse: O drama turbulento e, por vezes, divertido, de um homem dotado do poder quase místico de curar, que tem a obsessão de vencer a morte e a doença, é aqui contado desde o obscurantismo e a brutalidade do século XI na Inglaterra ao esplendor e sensualidade da Pérsia, detalhando a idade de ouro da civilização árabe e judaica. A história começa quando Rob Cole, órfão, aprendiz de um barbeiro-cirurgião na Inglaterra, toma conhecimento da existência de uma escola extraordinária na Pérsia, onde um famoso físico leciona. Decidido a ir a seu encontro, descobre que o único problema estava no fato de que cristãos não tinham acesso às universidades muçulmanas durante as Cruzadas. A solução era Rob assumir a identidade de um judeu, ao mesmo tempo em que se envolvia com uma avalanche de fatos verdadeiramente impressionantes.
Compare preços: Buscapé

[...] Não interrompeu o trabalho quando viu que a mulher se dirigia para ele.
Barbatanas no corpete erguiam seus seios, quando se movia às vezes aparecia o mamilo vermelho, e o rosto estava vulgarmente pintado. Rob J. tinha apenas nove anos, mas um menino de Londres sabia reconhecer uma prostituta.
- Você aí. Esta é a casa de Nathanael Cole?
Ele a observou ressentido, pois não era a primeira vez que uma mulher daquele tipo aparecia procurando por seu pai.
- Quem quer saber? – perguntou asperamente, satisfeito porque o pai estava fora, à procura de trabalho e ela não ia poder falar com ele, satisfeito por sua Mãezinha estar entregando bordados, sendo assim poupada daquele constrangimento.
- A mulher dele precisa dele. Ela me mandou.
- O que quer dizer, precisa dele? – As competentes mãos infantis interromperam o trabalho.
A prostituta olhou para ele friamente, percebendo o que Rob pensava dela por seu tom e modos.
- Ela é sua mãe?
Fez um gesto afirmativo.
- Está tendo um parto difícil. Está nos estábulos de Egglestan, perto de Puddle Dock. É melhor procurar seu pai e avisar – disse a mulher, e se afastou.

Avaliação:
A primeira vez em que ouvi falar d’O Físico foi em 1994, quando estava na 7ª série (#velha) e um menino da minha classe vivia falando que queria ler este livro porque gostava de Física (?!?!). Alguns anos mais tarde, entendi que o título original era The Physician e soube que a história era sobre um médico medieval.

O livro consegue prender a atenção desde o começo, quando Rob, aos 9 anos, perde a mãe devido ao parto do seu irmão mais novo, e em seguida o pai, de alguma doença erroneamente desprezada pelo médico que a diagnostica. Órfão, após ver seus 5 irmãos serem separados e dados a outras famílias, Rob acaba indo trabalhar como aprendiz de um barbeiro-cirurgião e assim tendo oportunidade de viajar por diversas regiões da Inglaterra.

Traumatizado pela sensação de impotência diante da morte de seus pais, o jovem aprendiz torna-se obcecado pelo desejo de poder curar doenças. É nesta ocasião que ele ouve falar sobre uma escola de Medicina na distante Pérsia, onde leciona o famoso médico Avicena.

O que encanta neste livro não é somente o enredo em si, ou a narrativa constantemente fluida e intensa. O pano de fundo da Idade Média, que sempre desperta interesses e curiosidade, traz os costumes, as características dos locais retratados, os aspectos da Medicina da época e a abordagem das religiões monoteístas, que juntos, não só dão mais densidade à história como contribuem como ótima fonte de conhecimento.

Com relação à – provavelmente antiga – polêmica tradução do título do livro, li algumas discussões pela internet e o ponto mais interessante que vi dizia o seguinte: “Na Idade Média o médico recebeu ainda, em latim, o epíteto de physicus, do grego physikós, de physis, natureza, equiparando-o aos estudiosos da natureza, ou seja, aos filósofos naturalistas. A denominação de ‘físico’ dada ao médico perdurou até o século XVIII e sobreviveu na língua inglesa em physician.” (fonte: http://usuarios.cultura.com.br/jmrezende/clinico.htm)
O Físico

Veja também:

    1 comentário para “[resenha] O Físico”

  1. Sayaka disse:

    Muito bom Lia! Me deu vontade de ler! Tá certo que não é uma coisa muuuuito difícil, mas sério, me tentou! rs
    Vou comprar!!! Tá na fila já!
    Não sei se você gosta desse estilo tipo medicina nos tempos antiiiigos, mas tem um da Tess que acho que você ia curtir “O Jardim de Ossos”. Fala um pouco também sobre como era praticada a medicina, como a falta de cuidados básicos de higiene entre os médicos tratando pacientes era fundamental na sobrevivência (no caso, a não sobrevivência) das pacientes, etc… é legal!
    Curti seu blog novo! bjus!!!

Comente!

Spam Protection by WP-SpamFree