[autor] Jorge Luis Borges

24 de agosto de 2011 - quarta-feira - 18:34h   ¤   Categoria(s): Autores

Jorge Luis Borges (✫ Buenos Aires, Argentina, 24.ago.1899 – † Genebra, Suíça, 14.jun.1986) foi um escritor, poeta, tradutor, crítico literário e ensaísta argentino.Jorge Luis Borges
Nascido em uma família de classe média e com acesso a boa educação, era bilíngue desde a infância, tendo aprendido o idioma inglês mesmo antes de falar espanhol, por influência de sua avó de origem inglesa. A precocidade se manifestou cedo, também ainda na infância. Aos 6 anos de idade, revelou a seu pai que queria ser escritor. Aos 7, escreveu, em inglês, um resumo de literatura grega. Aos 8, escreveu seu primeiro conto, “La Visera Fatal”, inspirado em um episódio de Dom Quixote. Aos 9 anos, traduziu do inglês “O Príncipe Feliz”, de Oscar Wilde.

Tendo se mudado para a Europa (inicialmente Suíça e depois Espanha) com a família em 1914, foi após o retorno à Argentina, em 1921, que Borges começou a publicar seus poemas e ensaios. Em 1923, teve publicado seu primeiro livro de poemas, “Fervor de Buenos Aires”, contendo influências surrealistas e regionais.

Entretanto, foi somente a partir da década de 1930 que viria sua consagração, transformando-se num dos mais brilhantes e polêmicos escritores da América Latina, sob o gênero da literatura fantástica.
Seus livros mais famosos, coletâneas de contos, são Historia Universal de la Infamia (1935), Ficciones (1944) e El Aleph (1949).
Entre seus contos mais conhecidos, contidos nestas coletâneas, estão:
• La biblioteca de Babel
• El jardín de senderos que se bifurcan
• Funes el memorioso
• La escritura del Dios
• Tlön, Uqbar, Orbis Tertius
• El Zahir
• El Aleph (que dá nome ao livro)

A partir da década de 1950, foi afetado por uma progressiva cegueira. Com o passar dos anos, quando foi perdendo completamente a visão, sua mãe Leonor passou a tomar conta do escritor, lendo e escrevendo o que ele ditava.
Em 1961, recebeu seu primeiro prêmio internacional, concedido pelo Congresso Internacional de Editores, o Prêmio Formentor.
Em 1967, Borges casa-se com uma amiga de infância, Elsa Astete, num casamento que durou 3 anos.
Em 1975, sua mãe falece.

Em 1986, casa-se pela segunda vez, com a sua ex-aluna, secretária particular (desde 1981) e amiga, Maria Kodama, que após a morte do escritor, tornou-se a herdeira de seus direitos autorais.
No mesmo ano, Borges morre de câncer no fígado.

Ficções
FicçõesO livro, em sua versão atual, reúne os contos publicados em 1941 sob o título de ‘O jardim de veredas que se bifurcam’ (com exceção de ‘A aproximação a Almotásim’, incorporado a outra obra) e outras dez narrativas com o subtítulo de ‘Artifícios’. Nesses textos, o leitor se defronta com um narrador inquisitivo que expõe, com elegância e economia de meios, de forma paradoxal e lapidar, suas conjeturas e perplexidades sobre o universo, retomando motivos recorrentes em seus poemas e ensaios desde o início de sua carreira – o tempo, a eternidade, o infinito. Os enredos são como múltiplos labirintos e se desdobram num jogo infindável de espelhos, especulações e hipóteses, às vezes com a perícia de intrigas policiais e o gosto da aventura, para quase sempre desembocar na perplexidade metafísica.

O Aleph
O AlephAs peças deste livro correspondem ao gênero fantástico – as coisas da vida real deslizam para contextos incomuns e ganham significados extraordinários, ao mesmo tempo que fenômenos bizarros se introduzem em cenários prosaicos. Os recorrentes motivos borgeanos do tempo, do infinito, da imortalidade e da perplexidade metafísica jamais se perdem na pura abstração; ao contrário, ganham carnadura concreta nas tramas, nas imagens, na sintaxe, que também são capazes de resgatar uma profunda sondagem do processo histórico argentino.

Veja também:

Comente!

Spam Protection by WP-SpamFree