[resenha] Corações em Fase Terminal

10 de julho de 2012 - terça-feira - 18:27h   ¤   Categoria(s): Literatura nacional, Resenhas, Romance

Corações em Fase TerminalTítulo: Corações em Fase Terminal
Autor: Fabiane Ribeiro
País: Brasil
Ano: 2011
Páginas: 116
Sinopse: Cátia, após quase acabar com a própria existência, mergulhada em uma vida de vícios e erros, acorda em um local misterioso, com o coração, manchado, em uma caixa dourada, e uma projeção de si própria, presa em um espelho repugnante. Em meio a uma cidade estranhamente maravilhosa e um amor mais forte que a própria vida, Cátia tem sua última chance de encontrar a cura para seu coração manchado.
Descubra o que é o Santuário, o clarão dourado, o templo onde a rosa flutua… Conheça cada personagem e seu coração doente. Cada um deles terá uma última chance para salvar sua vida, devido a seus próprios erros.

A moça [...] então, abriu a caixa, certa de que esta lhe pertencia.
Ao realizar tal ação, Cátia caiu no chão, devido a uma intensa dor. Percebeu que já estava sentindo aquela dor desde que despertara naquele pálido quarto, entretanto, agora a dor se materializara, ganhara vida.
Caída ao chão, a jovem viu o que havia no interior da caixa: era um coração e, sem saber como ou por que, ela teve certeza de que era o seu coração.

Avaliação:
Cátia tinha 24 anos e tudo para ser feliz. Tinha uma boa família, de classe alta, com pais dedicados. Frequentou os melhores colégios e cursava Direito. Mas fazia 4 anos que havia entrado no mundo das drogas. Dia após dia, de manhã, sua mãe a encontrava no quarto, em um estado lastimável, após uma noite regada de vícios. Já não sabia o que fazer, uma vez que tentativas de internação eram motivos para brigas explosivas.
Um belo dia, Cátia acordou em um aposento simples. Apenas a cama onde ela esteve dormindo, um guarda-roupa, um espelho e uma mesa de centro. Não se lembrava de quem era. No guarda-roupa, um único traje: um bonito vestido dourado. Na mesa de centro, uma caixa dourada com o nome Cátia escrito no tampo, o que supôs tratar-se dela mesma. No espelho, ao invés do reflexo que esperava ver, havia uma imagem sua, porém com roupas cinzas, cabelo bagunçado, sentada no chão abraçando os próprios joelhos e olhando para o nada. E dentro da caixa dourada, estava o seu coração, pulsando, mas doente, revestido de manchas negras e com aspecto fraco, abatido.
Ao sair de seu aposento, percebeu que estava em uma bela cidade e que não sabia nada sobre sua existência antes de ter acordado naquele dia.

“Corações em Fase Terminal” é um livro para provocar profundas reflexões. Na busca de Cátia para curar seu próprio coração, uma série de perguntas vêm à cabeça do leitor. E se eu pudesse enxergar meu coração? Se ele tivesse sobre sua superfície os reflexos de minha alma, que aspecto ele teria? Ele seria doente? Se sim, o que eu deveria fazer para curá-lo?
A personagem principal do livro é uma pessoa que está em uma situação mais extrema, que é o caso do vício em drogas, mas será que mesmo nós, que levamos uma vida aparentemente “saudável”, estamos realmente cuidando de nossos corações? Nem sempre nossos sentimentos, sensações e reações são puramente dependentes de estímulos externos. Muitas vezes o stress, as lamentações, a raiva e tristeza são apenas a forma que escolhemos para interpretar o mundo ao nosso redor.
Ao longo da história também são mostrados quais são os aspectos dos corações de outros personagens. Um tem espinhos, outro possui larvas andando por toda a sua superfície, um outro é esbranquiçado. Há até um coração totalmente sem forma, que não lembra em nada o órgão que deveria ser. Cada um dos corações estão em fase terminal e precisam ser curados, mas cabe a cada um de seus donos achar o caminho da cura.

Pare e pense: como seria o seu coração?

    4 comentários para “[resenha] Corações em Fase Terminal”

  1. Giani Plata disse:

    Oi Lia!
    Já li este livro e também fiz essa mesma pergunta: Como será que está meu coração?!

    Toda vez que um dos personagens mostrava seu coração, eu tentava adivinhar o motivo de ele estar daquela maneira.

    Fiquei encantada com o templo!
    E o museu dos corações?! rsrsrs
    Que lugar maravilhoso!

    Imagina trabalhar igual a Cátia?!
    Passeando de trem e vendo aquela maravilhosa paisagem…

    Interessante como todas as nossas atitudes podem de alguma maneira afetar a vida de outras pessoas…
    Por isso acredito que nada nessa vida é por acaso!

    Beijokas!!!

  2. Maritza Bom disse:

    Oi Lia adorei a resenha! Esse título parece ser uma ótima leitura, suas observações estão de acordo com a minha impressão do livro, durante a leitura da sinopse e alguns outros comentários! Acho muito bacana livros que nos botam para pensar, o que parece ser o caso desse! É bacana depois da leitura, refletir a respeito das mensagens que o texto trás! Fiquei muito curiosa!

    até mais!

    Prólogo da Leitura

  3. Leila disse:

    Ainda não tinha lido nenhuma resenha do livro e sua resenha já me fez pensar!
    Gosto de livros que nos deixam assim, pensativas.
    Além disso, é bem legal ver um livro de uma autora nacional! =)
    Beijo

  4. Eu também amei esse livro quando li *-* É como você disse mesmo, provoca uma profunda reflexão no leitor. Eu fiquei em vários momentos da leitura me fazendo a pergunta que você colocou no fim do post: Como seria meu coração?!
    Adorei a resenha, beijos

Comente!

Spam Protection by WP-SpamFree