[cabra] Mito: Quem lê muito escreve corretamente

26 de outubro de 2012 - sexta-feira - 18:47h   ¤   Categoria(s): Cabra


Dizem os textos por aí que escrever bem é um dos grandes benefícios que o hábito da leitura traz. Discordo.

No estilo de vida atual, a comunicação à distância é quase toda feita através da escrita. Email, instant messengers, redes sociais, SMS. Pelo menos na minha visão, falar ao telefone é só para avisar que chegou, perguntar onde está ou outras coisas urgentes. Ninguém mais fica pendurado no telefone batendo papo durante horas como nos Anos 90. Sendo assim, ficamos expostos à “burrice analfabética” das pessoas ao ver o que elas escrevem, não só para nós como para os outros.

Seja nas minhas redes sociais ou nos blogs literários que visito em algumas andanças, vejo devoradores de livros cometendo diversos erros de escrita em geral. Alguns grotescos, daqueles ortográficos, de fazer os olhos queimarem. Outros, leves, mas que estão se tornando comuns, como a falta de vírgula em inúmeras situações. E aqueles que me irritam mais do que tudo, que é não saber usar pontuação corretamente: trocar tudo por milhões de exclamações ou milhões de reticências. “Oi, tudo bem!!!!!” é diferente de “Oi, tudo bem?”. Na primeira frase você está cumprimentando e afirmando, super empolgado, que está bem. Na segunda frase, você está fazendo corretamente o que você acha que fez na primeira. O uso exagerado das reticências também está virando uma praga. O que tem de gente… nas minhas redes sociais… que usa os “três pontinhos” (ou quarto, cinco, dez pontinhos!) para substituir qualquer pontuação que tenha a função de pausa no discurso… olha… vou te falar… não está fácil, viu… seja para vírgula… seja para ponto final… muitas vezes até como interrogação… entendeu… Será que elas sabem o significado da palavra “reticente”…
Irritante esse monte de pontos parecendo que a pessoa é lerda ou está divagando, viajando para longe a cada respirada. Mas lembre-se: estou falando de gente que come livros!

A minha “teoria” é a seguinte: achar que quem lê muito inevitavelmente vai aprender a escrever bem é a mesma coisa que achar que quem ouve muita música vai saber tocar algum instrumento. Tem gente que lê e absorve intuitivamente, aprende por facilidade as regras da escrita. Tem gente que escuta músicas e “entende” o que fazer com aqueles acordes que entraram pelos ouvidos. E tem gente que tem “talento” apenas para curtir, seja música ou seja livro.
Mas veja bem, eu não estou apoiando a displicência e o mau uso da escrita. Eu estou apenas justificando que um mito que muitas pessoas tomam como verdadeiro é, para mim, falso, e explicando o porquê. A diferença entre a leitura e, usando ainda o mesmo exemplo comparativo, a música, é que nós não nos comunicamos através da linguagem musical com a mesma frequência que a linguagem textual escrita. Você não vai passar vergonha e ser criticado se não souber entender e se expressar musicalmente, mas eu me pergunto a que nível a sua autoestima cairia se você soubesse o que as pessoas pensam de você quando comete aqueles erros demoníacos de ortografia.

Acho que não custa nada, na medida do possível, prestar atenção durante a leitura em como as palavras são escritas e como as pontuações são usadas. Afinal, “Ah, mas você lê tanto! Por que é tão burro assim pra escrever?”. Cruel.

E você? Conhece alguém que devora livros mas não é lá grandes coisas na hora de escrever qualquer baboseira que seja?

 

Morte da cabrita A seção “Cabra” é um nome curto para o que deveria se chamar “Morte da Cabrita”, onde coloco os textos resultantes das minhas reflexões profundas (ahan!) acerca de assuntos que envolvem o mundo literário, principalmente a grande delícia que é ser um leitor. A intenção jamais será ter a palavra final sobre o tópico abordado, e sim gerar discussões e novas reflexões. Post explicativo aqui.

Veja também:

    5 comentários para “[cabra] Mito: Quem lê muito escreve corretamente”

  1. Elisa Andrade disse:

    Olá Lia,

    meu mestrado é exatamente sobre esse assunto, só que direcionado ao texto de comédia.
    Se reparar nos livros sobre comédia, esses de stand-up, por exemplo, irá verificar que a escrita segue o padrão da oralidade, e então as reticências se tornam um vício de linguagem.
    Minha “luta” no mestrado é mostrar que não pé preciso seguir o padrão da oralidade para enfatizar algo na escrita. As pausas muito utilizadas na comédia, são super valorizadas e úteis se bem pontuadas.
    Parabéns pelo post!
    Atenciosamente,
    Elisa.

  2. Samantha disse:

    Concordo contigo, acho que tem muito devorador de livro por aí que escreve muito mal. Eu sou uma pessoa mega empolgada, por isso costumo encher meus textos de exclamações kkkkkkkkk
    Mas acho que as pessoas estão se perdendo no delírio de que são melhores porque leem e não estão prestando atenção ao que realmente escrevem. Pena, vamos esperar que melhore no futuro.

  3. O que tem de blog literário com erros assim não é mole não! =P
    Eu acho que a leitura ajuda sim na escrita, mas a pessoa tem que LER, não bater os olhos. O que eu acho é que na blogosfera está acontecendo isso: a pessoa sequer lê o livro, ela come o livro sem mastigar direito, só pra poder receber mais e mais e mais.
    Antes eu fazia meus posts direto no computador, agora escrevo numa folha, à mão, e só depois passo pra Word, vejo se tem erros e finalmente coloco no blog. Fico pensando se o corretor automático dessas pessoas não está ativado, porque tenho até corretor na internet!
    Enfimmmmm, pior que blogueiro cometendo erros gramaticais e ortográficos, são autores… Ai meu Deus, aí não dá pra perdoar! Hahaha

    Adorei seu texto e fiquei com vergonha de ter algum erro nesse meu comentário. =P
    Beijinhos!

  4. Sayaka disse:

    Comecei a escrever pelo celular e desisti quando apertei num lugar errado e perdi tudo XD.

    Bom, eu vivo usando reticências, mas gosto de usar pra expressar exatamente o que elas significam. Mas é chato mesmo ver quem usa substituindo qualquer coisa.

    Eu sou devoradora compulsiva, mas admito que hoje em dia é difícil escrever corretamente. A grande culpa pra mim é a internet. Teve uma vez que você mesmo comentou que as pessoas não estavam mais escrevendo certo, só estavam usando a linguagem da net (que, por sinal, não consigo lembrar pra usar de exemplo rs), e eu me senti mal com isso, pq eu mesma estava usando o torto em vez do correto. Influências da massa. Parei de ser maria-vai-com-as-outras e comecei a escrever como as pessoas devem escrever.

    O internetês confunde a pessoa, sabia? Acho que o que me salvou foi meu trabalho. Eu tenho que escrever certo, faço isso o dia todo rs. Mas se não fosse isso, não sei não.

    Mas ó só. Eu sempre achei que meu português não era podre por causa dos livros que eu leio. Sempre achei isso. Agora você me deixou em dúvida… Será que na verdade meus professores de português foram tão bons assim?? kkkkkkkk

    Sei lá! Também pode ser que eu escrevo tudo errado e nem tô percebendo. Com certeza é o que acontece com aquelas pessoas dos blogs, resenhas, etcs e afins que escrevem um puta texto, na certeza de estar arrasando e usando palavras difíceis e rebuscadas, mas que sem querer acabam assassinando nossa querida palavra escrita rs. Outro dia mesmo eu tava lá, bonitinha, procurando resenhas e opiniões do Medo do Homem Sábio, quando dou de cara com gente que tá escrevendo uma puta crítica ao livro, usando palavras difíceis de propósito, e errando tudo, a palavra e a concordância! Nem devem perceber, devem achar que tudo tá bonitinho e que as pessoas vão ficar de queixo caído com o nível de dificuldade da resenha rs.

    Vou admitir algumas coisas. Não escrevo certinho o tempo todo. E ponto. rs. Odeio falar com um amigo e escrever “estou”. Pra mim é tô e tá bom. Também odeio quebrar a cuca se é porque, ou por que, ou porquê, ou sei lá o que, essa é uma regra que sempre me confundiu, e só quero quebrar a cuca quando eu estiver no trampo. Fora do trampo é pq. Todo mundo entende e eu não preciso fritar o cuco. Também não gosto de usar para certinho o tempo todo, é pra. Como falei, o português correto mesmo eu só uso pra trabalhar pq eu tenho que usar. Agora, concordância é essencial. Pontuação? Óbvio! Como você quer que neguim entenda o que você tá falando se tu não bota uns pontos e virgulas nas frases que tu escreve? Pensei em colocar um exemplo, mas não consigo nem pensar em não usar essas coisinhas “básicas”.

    Pow Lia, sorry, me empolguei de novo. Daqui a pouco você vai me banir do blog kkkkkkkk

  5. E eu vou ter que começar discordando de você hahahaha
    Ainda sou mega adepta do telefone, ainda fico pendurada por horas porque muitos amigos moram longe e não tem internet, mesmo os que tem ainda perdem horas comigo no telefone, rs.
    Acredito que a leitura desenvolve a sua escrita, sim, desde que você se esforce para que isso aconteça – o que não acontece em todos os casos. Não adianta ler muito e na hora de escrever não se preocupar em como fazer isso ou não prestar a devida atenção ao que se lê.
    Como sempre, um texto muito inteligente, não é Lia?
    Beijos
    Fernanda Souza
    @LeitoraIncomum
    http://leitoraincomum.blogspot.com

Comente!

Spam Protection by WP-SpamFree