[cabra] Novos hábitos na batalha contra a fila de não-lidos

25 de fevereiro de 2013 - segunda-feira - 19:37h   ¤   Categoria(s): Cabra

E então que na semana passada, numa das minhas idas frequentes a livrarias, eu estava lá, bela e sílfide, passeando como um hipopótamo etéreo entre as prateleiras, quando de repente, ao avistar e desejar um livro qualquer, eu imediatamente pensei: “Nossa, mas eu já tenho tantos!”.

… [barulho de disco riscado]

Hein?

Como é? Repete.

Eu mesma cheguei a parar, ainda entre as prateleiras, virando a cabeça de lado feito uma coruja-que-perdeu-a-piada, pra tentar processar o que eu tinha acabado de pensar.
Entretanto, por mais absurdo e improvável que tenha sido esse meu pensamento, é perfeitamente possível de se compreendê-lo, se analisarmos o meu comportamento nos últimos 2 anos.

Que o cérebro é algo possível de ser moldado com mudanças comportamentais, eu já tinha ouvido falar muitas vezes. Mas o que me encanta é sentir isso na pele. Ou melhor, na cabeça. Em 2010, devido à falta de costume de arrumar a cama, eu fiz uma aposta comigo mesma, valendo livros. Bastaram 30 dias tendo como incentivo a minha mais valiosa moeda de troca e eu nunca mais deixei de arrumar minha cama. Simplesmente criei um hábito.

Eu nunca comprei livros em lojas online através do meu computador porque não confio na segurança dele. Às vezes, quando me dava a louca, eu comprava pelo computador do trabalho. Mas de qualquer forma, eu desenvolvi o costume de visitar sites de livrarias sem nunca me sentir tentada a sair comprando, mesmo que a promoção seja a oportunidade que você nunca mais vai encontrar na vida. Navegar em livrarias sem ter a necessidade de encher o carrinho virou um hábito.

Desde que eu vi que ia fazer estrago – e fiz – na Bienal SP 2012, eu comecei a levar mais a sério esse negócio de me controlar quando vou a uma livraria física. Continuei visitando-as, semanalmente, inclusive. No começo, foi bem difícil segurar a onda. Todos os livros eram lindos, eu queria todos e eles tiravam a roupa para me seduzir. Mas eu me mantinha forte e aguentava bravamente. Com o tempo, fui adquirindo resistência. Ainda continuava querendo os livros (“Ah, quero ler esse! E esse também! E esse. E esse outro.”), mas querer não mais significava comprar. Através dessas visitas, fiz do olhar-querer-e-não-comprar um novo hábito. A minha última compra casual por compulsão foi em 12 de maio de 2012. Veja bem, não estou falando de Bienal. Num evento daquele tamanho, você simplesmente PRECISA abrir as porteiras e deixar os demonho saírem. O que eu chamo de compra casual por compulsão é quando você visita uma livraria, física ou online, com o pensamento de “Vou só dar uma olhadinha”, vê um determinado livro liiiindo ou com um preço óóótemo e simplesmente não resiste. Pois bem… a última vez que eu fiz isso foi em 12/05/12. Desde então, levando em conta a Bienal e a 1ª Brecha do Castigo Pós-Bienal, eu fiquei, respectivamente, 87 e 96 dias sem comprar livros.
Agora, vou pra 2ª Brecha, e estou há 92 dias de jejum, sem nenhuma pressa de comprar o próximo livro. (Mentira. Estou ansiosa porque já escolhi e é um assunto que me interessa muuuito, mas pretendo esperar terminar mais 2 livros)

O que eu quero dizer com tudo isso? Que foi extraordinariamente possível mudar meu comportamento no que se refere à minha compulsão por livros, sem precisar de hipnose ou remédios de tarja preta. Sendo assim, a frase chocante do começo do texto não é tão chocante assim. Pode parecer papo de doido, mas hoje eu me sinto mais livre em relação ao meu amor pelos livros, ao invés de me sentir dominada por esse tal de Algo Mais Forte do Que Eu.

Minha fila continua grande? Sim, gigantesca, inclusive mandou um beijo pra vocês. Mas faz 189 dias que a Bienal SP terminou e eu só comprei 1 livro desde então.

Ah, sim… Por que eu escrevi esse texto? É só pra dividir minha experiência com vocês. Já que essas reflexões me surgiram, como sempre, num momento morte-cabritístico… =)

 

Morte da cabrita A seção “Cabra” é um nome curto para o que deveria se chamar “Morte da Cabrita”, onde coloco os textos resultantes das minhas reflexões profundas (ahan!) acerca de assuntos que envolvem o mundo literário, principalmente a grande delícia que é ser um leitor. A intenção jamais será ter a palavra final sobre o tópico abordado, e sim gerar discussões e novas reflexões. Post explicativo aqui.

Veja também:

    1 comentário para “[cabra] Novos hábitos na batalha contra a fila de não-lidos”

  1. Igor disse:

    HAHAHAHA dei muita risada com o post (como de costume)!! Mas isso é a pura verdade :/

Comente!

Spam Protection by WP-SpamFree