[resenha] Alma?

5 de junho de 2013 - quarta-feira - 09:18h   ¤   Categoria(s): Aventura / Fantasia, Literatura estrangeira, Resenhas, Terror / Sobrenatural

Alma?Título: Alma?
Título original: Soulless
Autor: Gail Carriger
País: EUA
Ano: 2009
Editora: Valentina
Páginas: 307
Sinopse: Em primeiro lugar, ela não tem alma. Em segundo, é solteirona e filha de italiano. Em terceiro, acaba sendo atacada sem a menor educação por um vampiro, o que foge a todas as regras de etiqueta.
E agora? Pelo visto, tudo vai de mal a pior, pois a srta. Tarabotti mata sem querer o vampiro ― ocasião em que a Rainha Vitória envia o assustador Lorde Maccon (temperamental, bagunceiro, lindo de morrer e lobisomem) para investigar o ocorrido.
Com vampiros inesperados aparecendo e os esperados desaparecendo, todos parecem achar que a srta. Tarabotti é a responsável. Será que ela conseguirá descobrir o que realmente está acontecendo na alta sociedade londrina? Será que seu dom de sem alma para anular poderes sobrenaturais acabará se revelando útil ou apenas constrangedor? No fim das contas, quem é o verdadeiro inimigo, e… será que vai ter torta de melado?
Compre: compare preços

Eles a encaravam apenas como uma solteirona, cuja situação desfavorável resultava sem dúvida alguma de um misto de personalidade forte, compleição escura e traços faciais marcantes. A srta. Tarabotti achava que seria um transtorno ter de dar explicações a torto e a direito sobre ausência de alma para as massas mal informadas.

Avaliação:
Alexia Tarabotti não tem alma, característica que herdou de seu pai. Diferentemente dos vampiros e lobisomens, que são sobrenaturais, ela é uma preternatural. Sua habilidade principal é anular os poderes deles com seu toque.
A época é o século XIX. O lugar, Londres, na Inglaterra. Os sobrenaturais já existiam há muitos milhares de anos, juntamente com a (ou até antes da) humanidade. Mas nessa época e nesse lugar, eles realmente são inclusos e aceitos na sociedade como qualquer cidadão. Participam do governo, fazem parte dos conselheiros da Rainha, circulam normalmente entre as pessoas. Um único detalhe é que eles têm um registro especial, como se fosse um RG, mas cadastrado por uma entidade exclusiva para não-humanos.
A criação – ou transformação – de novos sobrenaturais, assim como a “educação” deles, sejam vampiros ou lobisomens, é controlada, sendo responsabilidade de clãs que se dividem por localidade. O problema começa quando Alexia é atacada por um vampiro que parece desconhecer os conceitos que envolvem os não-humanos. Ele não fazia a menor ideia dos poderes de uma preternatural, além de não conseguir pronunciar os Ss por causa da falta de familiaridade com os novos caninos. Em legítima defesa e sem intenção, a sem-alma acaba matando o vampiro. Mas quem era ele? Por que não estava registrado? Por que não sabia se comportar conforme a etiqueta? De que clã ele se originou? Este acidente e estas perguntas são o eixo principal do enredo de Alma?, onde todos os outros deliciosos elementos são enganchados para dar vida a essa história absurdamente prazerosa e agradável de se ler.

Se eu tivesse que definir este livro em uma única palavra, seria “divertidíssimo”. Os personagens são marcantes, inteligentes, cheios de personalidade, não importando se são sarcásticos, rabugentos ou apenas excêntricos. As cenas e diálogos são recheados de humor e irreverência. Sendo assim, o texto flui como água gelada em uma garganta com sede.
Eu não conheço muitas histórias de vampiros e lobisomens, a não ser o básico e os crepúsculos-da-vida, mas achei que Alma? traz conceitos diferentes e bastante interessantes. Com certeza está longe de ser aquela mesmice da adolescente que se descobre meio-humana e se apaixona por um sobrenatural num amor proibido e inocente. Bem, inocência é algo que quase não existe no livro…
Outro ponto que dá um charme todo especial à história é o fato de se passar na Inglaterra vitoriana com elementos steampunk. Vestidos farfalhantes, sombrinhas que são verdadeiras armas, coches e gadgets cheios de engrenagens fazem você ter vontade de pular pra dentro das páginas e ser um dos personagens.

No fim das contas, eu terminei a leitura com fome de continuação. A Editora Valentina já tem planos, sim, de publicar os volumes seguintes. O difícil é esperar sossegada.
Eu diria, sem vergonha nenhuma, que Alma? foi uma história de vampiros e lobisomens que me conquistou.
Alma?

    2 comentários para “[resenha] Alma?”

  1. “[...] o texto flui como água gelada em uma garganta com sede.”

    Depois desta eu tenho que ler este livro! =D Este livro parece ser bem o que eu estou atrás no momento: steampunk, personagens maduros, uma história divertida e com cenas engraçadas… só não esperava encontrar tudo em um livro só (bem, se meu gosto bater com o seu, né? ;) )

  2. Bruna Araújo disse:

    Olá, Lia!! :)
    Tudo bem?

    Sua resenha me surpreendeu. Já tinha visto alguns elogios ao livro, mas tudo muito superficial. Os “adjetivos” que você usa para descrever o livro despertaram meu interesse, parece realmente ser muito sagaz ^^.

    Não sei se vou de lê-lo, mas seria um prazer ter a oportunidade de conhecer uma história tão diferente e bem escrita.

    Excelente resenha!
    Adorei a parte “o texto flui como água gelada em uma garganta com sede”, bem como o uso do superlativo na palavra que você usaria para definir a obra, isso realmente me deixou interessada!

    Até mais!
    ;*

Comente!

Spam Protection by WP-SpamFree