[resenha] Inferno

11 de julho de 2013 - quinta-feira - 20:56h   ¤   Categoria(s): Literatura estrangeira, Policial, Resenhas, Romance, Suspense / Ação

InfernoTítulo: Inferno
Título original: Inferno
Autor: Dan Brown
País: EUA
Ano: 2013
Editora: Arqueiro
Páginas: 443
Sinopse: No coração da Itália, Robert Langdon, o professor de Simbologia de Harvard, é arrastado para um mundo angustiante centrado em uma das obras literárias mais duradouras e misteriosas da história – O Inferno, de Dante Alighieri. Numa corrida contra o tempo, Langdon luta contra um adversário assustador e enfrenta um enigma engenhoso que o arrasta para uma clássica paisagem de arte, passagens secretas e ciência futurística. Tendo como pano de fundo o sombrio poema de Dante, Langdon mergulha numa caçada frenética para encontrar respostas e decidir em quem confiar, antes que o mundo que conhecemos seja destruído.
Compre: compare preços

Ao mudar de posição, Langdon se viu outra vez de frente para a janela. As luzes estavam apagadas e, no vidro escuro, seu próprio reflexo havia desaparecido, substituído por um horizonte distante e iluminado.
Em meio às silhuetas de torres e domos, uma fachada em especial se destacava em seu campo de visão. A construção era uma imponente fortaleza de pedra, com ameias no parapeito e uma torre de mais de 90 metros, que ficava mais larga perto do topo projetado para fora, também com ameias munidas de balestreiros.
[...]
Conhecia bem aquela estrutura medieval.
Era única no mundo.
[...]
- Eu estou… na Itália?

Avaliação:
“Mano do céu…!”, foi o que eu disse (ou pensei), com os olhos arregalados, quando terminei de ler Inferno.

Como sempre, Dan Brown foi Dan Brown neste último livro: Robert Langdon na correria, fugindo freneticamente de perseguidores enquanto decifra quebra-cabeças com símbolos e enigmas que o ajudarão na sua busca; uma mulher de 30-e-poucos anos, inteligente e atraente como companheira de corre-corre do protagonista; cidades com muita história e cultura como cenários; aprendizado de sobra para o leitor, que não consegue se desgrudar das páginas. Entretanto, em Inferno, há um elemento novo, que foi o que justamente me fez ficar matusquelando por alguns dias após ter terminado a leitura. A “polêmica” diz respeito a cada um de nós, diretamente.
Dan Brown aborda neste livro a questão da superpopulação no nosso planeta. Através do vilão Bertrand Zobrist, ele tenta mostrar para onde nós, como raça humana, estamos nos destinando se continuarmos a caminhar da forma como estamos fazendo. Este assunto não é novo para ninguém, mas a forma como o autor constrói todo o enredo da sua história em torno do tema é bem eficaz para chamar atenção do leitor e fazê-lo refletir bastante depois da última página lida. Daí os meus olhos arregalados.
As referências a Dante Alighieri e seu Inferno são perfeitas, neste contexto, para ficar sussurrando no seu inconsciente questionamentos sobre sua moral, suas atitudes, condutas e valores. Florença, além de ser o local de nascimento de Alighieri, é também considerada o berço do Renascimento italiano. Este período culturalmente rico da História, por sua vez, dizem, só foi possível acontecer graças à Peste Negra, que dizimou 1/3 da população da Europa, no século XIV. Quando aprendemos na escola sobre esta epidemia, 3 palavras muito comumente associadas a ela são: fome, falta de higiene e – surpresa! – excesso populacional.

Avaliando Inferno como um todo, ainda acho que Anjos e Demônios continua tendo o enredo mais bem estruturado dentre os livros do Dan Brown, e Código Da Vinci ainda pode ser visto por muita gente como o mais polêmico. Mas nenhum deles me atingiu de forma tão pessoal nem me causou tanta reflexão quanto Inferno, afinal, o fato de Maria Madalena ter ou não sido esposa de Jesus não vai fazer muita diferença quando a humanidade estiver à beira do colapso.

Só digo uma coisa: leia. Vale a pena. E não use como desculpa o fato de não ter gostado de O Símbolo Perdido. Simplesmente esqueça que o penúltimo livro existiu. Vá e leia Inferno acompanhando pelos posts da série Inferno Ilustrado, onde disponibilizo de forma fácil os lugares, obras e imagens citadas ao longo do livro.
Inferno

Leia um trecho: aqui

    4 comentários para “[resenha] Inferno”

  1. Camilla disse:

    Adorei sua resenha, Lia.

    Nunca fui fã de Dan Brown.
    Li O Código Da Vinci na época em que virou best seller. Gostei, mas não o suficiente para que eu procurasse outros títulos do autor. Na verdade, senti muita “teoria da conspiração” vinda do livro. O que me deixou com uma birrinha dele.
    Um tempo mais tarde vi o filme Anjos e Demônios e a história me interessou mais do que a do Código, mas também não foi o suficiente para que eu lesse o livro.
    Acho que histórias envolvendo religião não são minhas favoritas.

    Aí ganhei Inferno de aniversário e comecei a ler. Foi uma grata surpresa! O livro me prendeu desde o início (ao contrário do Código, que às vezes é meio arrastado). A história me agradou muito, desde a premissa que impulsionou o vilão até como tudo foi construído e finalizado. Não me pareceu prepotente nem inverossímil.
    O livro me prendeu tanto que não resisti e li com o google street view e a wikipedia do lado, para não perder nenhuma referência. Esse é um grande mérito do Dan Brown. Fazer com que o leitor busque informações.
    Todas as ligações com a obra de Dante foram muito bem construídas. E adorei cada uma delas.

    Resumindo: Achei o livro sensacional. Na minha opinião, ele é bem menos viajante do que o Código ou Anjos e Demônios. Achei bem mais próximo da nossa realidade. Você termina de ler com a sensação de que isso pode de fato acontecer.

  2. #voltainfernoilustrado disse:

    Adorei seus posts sobre o Inferno numa versão ilustrada, podia terminar o livro, né?

  3. Celio disse:

    Oi Lia! Vim dar um alô por aqui!
    Você escreve bem hein! Hehe.. Bom, vou tentar ler o livro!
    Beijo,
    Celio

  4. Bruna Araújo disse:

    Olá, Lia!!

    Primeiro, gostaria de dizer que usas resenhas são mais que perfeitas! Adoro sua escrita, que mesmo sendo objetiva não deixa nada de fora (essa é uma característica que admiro muitíssimo!) Você tem um jeito despojado de escrever, mas ao mesmo tempo inteligente e rio (não que essas sejam qualidades opostas rs).

    Estava pensando em fazer um post sobre os blogs parceiros, e falar sobre o verbo: ler é tão fácil, pois sou tida elogios *.*… pensei até que poderia dar a impressão que não gosto dos outros blogs de tanto que elogiaria o seu.

    Segundo, já devo ter comentado no quanto confio em suas opiniões (por sua sinceridade etc.), mas não sei se disse o quanto admiro seu gosto literário! Por mais que não seja exatamente como o meu (talvez por isso eu fique tão encantada) você consegue me fazer querer lê-las.
    Os livros de que você fala tem algo de “Cool” sabe? rs Parecem ser inteligentes, divertidos (cada um ao seu modo), posso dizer isso sobre Inferno.

    Na verdade sempre tive curiosidade para ler algo do Dan B. , mas não sei por qual motivo venho adiando… simplesmente não consigo tomar a iniciativa.
    O que mais gostei foi dos posts ilustrados sobre o livro (deveriam publicar em forma de Guia!) e de pensar no aprendizado e reflexão que essa leitura pode proporcionar *__* #suspira .. (sim eu queira ser mais inteligente e informada… tipo Robert Langdon rsrs)

    Ai, nem sei mais o que dizer! Mas acredite, eu amei sua resenha!!

    Bjs!!
    Até mais!

Comente!

Spam Protection by WP-SpamFree