[resenha] A Princesa de Gelo

26 de janeiro de 2014 - domingo - 22:04h   ¤   Categoria(s): Desafios, Literatura estrangeira, Policial, Resenhas, Suspense / Ação

A Princesa de GeloTítulo: A Princesa de Gelo
Título original: The Ice Princess
Autor: Camila Läckberg
País: Suécia
Ano: 2002
Editora: Planeta
Páginas: 365
Sinopse: “A Princesa de Gelo”, primeira aventura de Erica Falck, uma biógrafa que encontra seu passado mergulhado num lago gelado de sangue. A história leva o leitor a acompanhar os passos de Erica e descobrir por que grandes segredos permaneceram tanto tempo escondidos e como o silêncio pode matar a alma.
Compre: compare preços

Por sorte, os olhos do cadáver estavam fechados, mas os lábios tinham uma coloração azul-clara. Uma fina camada de gelo se formara ao redor do seu dorso, escondendo a parte inferior do corpo completamente. O braço direito, manchado de sangue, caía debilmente da beira da banheira, e os dedos estavam mergulhados na piscina congelada de sangue no chão. Havia uma lâmina na beira da banheira.

Avaliação:
Na contracapa de A princesa de gelo está escrito que Camila Läckberg é a nova rainha do crime. As primeiras coisas que me passaram pela cabeça foram: “Uôu, que responsabilidade! Será que ela é tudo isso mesmo? Será que ela não se sentiu intimidada ao receber este título, já que todo mundo pensaria a mesma coisa que eu estou pensando?”
Só tinha um jeito de saber: lendo o livro.

Então, lá fui eu parar no pequeno povoado de Fjällbacka, na Suécia, onde, segundo a história, uma mulher chamada Alexandra Wijkner foi encontrada morta, com os pulsos cortados e congelada, dentro da banheira da antiga casa onde havia morado na infância.
Erica Falck, protagonista do livro, esteve morando em Estocolmo nos últimos anos, trabalhando como escritora de biografias, mas voltou a Fjällbacka por conta do falecimento de seus pais. Ela e Alexandra eram melhores amigas quando crianças, mas estiveram separadas durante 25 anos, desde que Alexandra fora embora repentinamente para Gotemburgo com sua família, sem nem ao menos se despedir de Erica. Mesmo não sendo policial, a escritora se vê envolvida nas investigações da morte da amiga, que, apesar das primeiras impressões, não foi suicídio.
Pouco a pouco, conforme evidências do crime começam a vir à tona, junto com elas, emergem também segredos enterrados há muito tempo no fundo das lembranças de alguns moradores do povoado.

A primeira coisa que eu posso dizer sobre A princesa de gelo é que este livro tem um enredo muito bem estruturado. Eu não sei se tenho condições de confirmar se Camila Läckberg realmente se compara a Agatha Christie, pois li apenas 1 livro da clássica escritora. Entretanto, gostei muito de algumas semelhanças de estrutura, como os milhares de segredos guardados e como quase todos os personagens são suspeitos do crime. À medida que a investigação avança e os segredos vão sendo revelados, as pontas vão sendo amarradas e o emaranhado da rede toma forma, acabando por explicar por que Alexandra foi assassinada. E, bem no finzinho, quando você acha que ainda há dúvidas pendentes de explicação, um último nó é atado e você tem a sensação de certeza que de nenhuma ponta ficou solta.

O que eu achei um pouco diferente nesse livro em relação aos outros que eu tenho lido (independentemente do gênero) é que não há nenhum personagem que se destaque em termos de personalidade. Todos são pessoas razoavelmente comuns no seu jeito de ser e nenhum deles é necessariamente apaixonante (como Myron Bolitar ou Alexia Tarabotti, por exemplo). Entretanto, isso não diminui em nada a qualidade do livro, pois o que prende o leitor é realmente o enredo e o seu desenvolvimento.

Uma certeza que eu tenho em relação à autora é que eu quero muito ler as sequências. Aos que têm repulsa por séries, muita calma: pelo que eu entendi, os livros são independentes, bem no estilo Harlan Coben. Além de querer ler mais histórias ótimas como as de A princesa do gelo, eu quero muito saber como vai evoluir a vida dos personagens que continuam aparecendo nos próximos livros.

Este livro foi a meta de novembro do Projeto Variedade Literária.
A Princesa de Gelo

    3 comentários para “[resenha] A Princesa de Gelo”

  1. Simone Schmidt disse:

    meu teclado tá péssimo nem esquente, desculpa outra vez

  2. Simone Schmidt disse:

    desculpi s eerrei teu nome !!!!! sorry sorry fui teclar na virgula ok

  3. Simone Schmidt disse:

    Liam é aqui no’Verbo Ler’ que faça aquela ‘pausa para o cafezinho’ com muito gosto.
    ‘A Princesa de Gelo’ foi muito bem sim, concordo com você, mas eu abandonei a leitura quando virou estória de abuso e pedofilia infantil, que não é mencionado em resenha nemnhuma e que é um assunto que evito em leitura passatempo.
    E, me desculpe, mas os livros com o Myron Bolitar são uma sequencia, sim, nem a Editora Arqueiro parece perceber isso,
    Fiquei meio doida lendo ‘Alta Tensão, o livro 10 da série, sem entender nada daquela volta da cunhada que é uma passagem de um livro anterior.
    Abraço de Luz e Paz, sucesso com o blog sempre.

Comente!

Spam Protection by WP-SpamFree