[resenha] Adultério

18 de maio de 2014 - domingo - 21:21h   ¤   Categoria(s): Literatura nacional, Resenhas, Romance

AdultérioTítulo: Adultério
Autor: Paulo Coelho
País: Brasil
Ano: 2014
Editora: Sextante
Páginas: 239
Sinopse: Minha tristeza se tornou rotina, ninguém percebe mais. Não consigo mais dormir direito. Sinto-me egoísta. Continuo tentando impressionar as pessoas como se ainda fosse criança. Choro sozinha e sem motivo no banho. Só fiz amor com vontade mesmo uma vez em muitos meses – e você sabe bem de que dia estou falando. Já considerei que tudo isso seja um rito de passagem, consequência de eu ter passado dos 30 anos, mas essa explicação não basta. Sinto que estou desperdiçando minha vida, que um dia vou olhar para trás e me arrepender de tudo o que fiz. Menos de ter me casado com você e tido nossos lindos filhos. – Mas isso não é o mais importante? Para muitas pessoas, sim. Mas para mim não é o suficiente.
Compre: compare preços
Avaliação:

Devo aguentar firme e esperar que a crise passe. Do contrário, corro o risco de me apaixonar de verdade, sentir de modo permanente o que senti por uma fração de segundo quando almoçamos juntos da primeira vez. E, se isso acontecer, as coisas já não se passarão apenas dentro de mim. Em vez disso, o sofrimento e a dor se espalharão por toda parte.

Linda tem a vida perfeita: tem 31 anos, é casada com um marido amoroso e tem filhos bem comportados. Mora na Suíça e tem um emprego estável com uma carreira sólida.
Só que essa vida perfeita já não a satisfaz. Com sentimentos confusos dentro de si, sente, ao mesmo tempo, tédio, tristeza, desespero e apatia.
Até que, um dia, por causa da sua profissão de jornalista, acaba reencontrando um ex-namorado da época de adolescência. Ele agora é um político bem-sucedido e ela incumbida de entrevistá-lo. Entretanto, esse reencontro acaba não ficando puramente no campo profissional.

Uma coisa muito estranha que eu fui notando ao longo da leitura e esteve presente em 80% do livro foi a sensação de letargia que o texto transmitia. O livro é em primeira pessoa, e, teoricamente, a confusão de sentimentos que a personagem carregava deveria causar muito sofrimento. Entretanto, isso não era mostrado no texto. A impressão que me passava era que ela compreendia de forma consciente (ou até onisciente) tudo o que sentia. Havia análises e conclusões de mais e demonstrações de emoções de menos.
Confesso que isso me deixava com dúvidas quanto a aonde o livro queria chegar. Ficava me perguntando: “Será que é o fato de o autor ser homem e desconhecer o universo das aflições femininas? Será que é justamente para mostrar o marasmo em que estava mergulhada a vida da personagem? Será que o céu vai se abrir e trará uma revelação divina na última frase do livro?”

Sim, o final do livro mostra aonde ele queria chegar o tempo todo. E a parte interessante é justamente quando você termina de ler e dá uma nova olhada na frase que está em destaque na 4ª capa: “É melhor viver do que não amar”. Ela é a primeira que você lê quando vai tentar saber mais do que o livro se trata. A interpretação dela antes de ler o livro é uma, e se torna totalmente outra após a leitura. Então, você finalmente entende qual é a proposta de Adultério.
Adultério

Comente!

Spam Protection by WP-SpamFree