Categoria: ‘Infantojuvenil’

[resenha] Branca de Neve

5 de dezembro de 2012 - quarta-feira - 16:06h   ¤   Categoria(s): Aventura / Fantasia, Infantojuvenil, Literatura estrangeira, Resenhas

Branca de NeveTítulo: Branca de Neve
Título original: Snow White
Autor: Irmãos Grimm (ilustrações de Camille Rose Garcia)
País: Alemanha
Ano: 1812~1822
Editora: Geração Editorial
Páginas: 80
Sinopse: Esta versão, feita para os pré-adolescentes do século XXI, traz uma heroína que parece uma gótica. A rainha perversa, a segunda mulher mais bela depois de Branca de Neve, surge aqui como um monstro de quatro olhos. Até os animais da floresta são assustadores, e o Príncipe Encantado não parece particularmente viril.
Compre: compare preços

Leve essa criança para a floresta. Eu não quero jamais pôr meus olhos sobre ela outra vez. Traga-me os seus pulmões e o seu fígado como prova de que realmente a matou.

Avaliação:
Pense em um livro lindo, de capa dura, bem encadernado, com folhas internas brilhantes, diagramação perfeita, ilustrações de tirar o fôlego e, como se não bastasse, contando a história de um dos grandes clássicos da literatura infantil. Pois este livro é a edição da Geração Editorial para Branca de Neve.

O texto contido nele é a versão clássica dos Irmãos Grimm, publicado há quase 200 anos. Sua história é relativamente diferente da versão certinha e açucarada da Disney. Prepare-se para sentir um quase imperceptível incômodo moral ao lê-la.

Mas o grande atrativo do livro é a parte visual, o que o torna praticamente uma obra de arte. A sua qualidade mostra o cuidado com que foi produzido. Os desenhos são ao mesmo tempo encantadores e medonhos, com criaturas bizarramente fofinhas e personagens carregados no delineador, independente da idade, sexo ou espécie.

Vejam algumas fotos que eu tirei do livro:
Branca de Neve Branca de Neve Branca de Neve Branca de Neve Branca de Neve

A parte mais legal, para vocês, é que eu tenho 2 exemplares. Um é meu. O outro poderá ser seu, junto com mais 11 livros, sorteados na promoção “Um ano de livros – 26 blogs, 24 livros + mimos. Quer ganhar? Participe!! São 24 livros para 2 ganhadores! =)

[resenha] Garota Replay

13 de novembro de 2012 - terça-feira - 17:04h   ¤   Categoria(s): Desafios, Infantojuvenil, Literatura nacional, Resenhas, Romance

Garota ReplayTítulo: Garota Replay
Autor: Tammy Luciano
País: Brasil
Ano: 2012
Editora: Novo Conceito
Páginas: 144
Sinopse: Thizi é uma garota do bem, apaixonada pela vida. Mas, após uma madrugada trágica, sente que tudo à sua volta desmorona. Descobre que Tadeu, seu namorado, beijou uma garota em uma noitada e quebrou o nariz de Tito, melhor amigo de Thizi, quando soube que ele fotografou a prova da traição. Na mesma noite, Tadeu dirigiu bêbado e causou grave acidente, que deixou o amigo Gabiru em coma. Em meio a tanta decepção, Thizi encontra uma Replay de si mesma, uma igual. Agora, não mais a única do planeta, ela se sente a pessoa mais solitária do mundo e precisa entender que o amor tem o poder de provocar as melhores mudanças.
Compre: compare preços

Pelo jeito da moça, ela tinha se dado melhor nos encontros com a sorte do que eu. Os cabelos eram supertratados, a pele macia como uma seda, o olhar brilhante e um semblante de realização, me fazendo refletir sobre as vezes em que culpei minha aparência física pelos não acertos.

Avaliação:
Thizi é uma garota de 20-e-poucos anos cujos pais passam, pelo menos, 10 meses do ano viajando. Seu namorado, Tadeu, tem o costume de traí-la com a Barra da Tijuca inteira, na frente de quem estiver lá para ver. Tito, seu melhor amigo, vive querendo alertá-la sobre as safadezas do namorado. Em uma certa noite, Tito fotografou Tadeu beijando uma garota em uma balada. Após uma confusão em que Tadeu dá um soco em Tito e quebra seu nariz, Tadeu se envolve em um acidente de carro, por dirigir bêbado, levando seu amigo Gabiru a ficar em coma.
Depois dos confusos e trágicos acontecimentos envolvendo seu namorado e seu melhor amigo, em que não sabe direito o que fazer, Thizi resolve sair para espairecer. Em uma balada, simplesmente do nada, vê uma garota que é idêntica a si mesma. Não era apenas alguém parecido com ela, mas definitivamente uma cópia. A diferença é que a sua “gêmea” estava mais bem vestida, usava acessórios mais elegantes e uma maquiagem mais bonita. Como se isto não bastasse, a cópia também parecia ser uma garota mais segura, mais autoconfiante e mais experiente. Ou seja, um clone melhorado de Thizi.
Após esta estranha aparição, além de ter que lidar com o namorado internado no hospital e o melhor amigo que a partir de agora quer distância, Thizi também resolve descobrir quem é, afinal de contas, a sua replay.

O livro é uma delícia de se ler! É leve, é cativante, flui que é uma maravilha. É o tipo de escrita que vai simplesmente levando o leitor sem ele perceber. A história é muito bonitinha, com uma grande virada no enredo que me deixou boquiaberta, mas o que mais me encantou foi o significado da Garota Replay. Achei a ideia bastante original e ficava imaginando, durante a leitura, o que eu pensaria se encontrasse uma replay minha e depois descobrisse o que ela é.
Acho que este livro, não só pelo entretenimento em si, vale como uma boa leitura para uma oportunidade de reflexão sobre a forma como você está deixando a sua vida ser conduzida.

Eu também gostei muito da ilustração que cobre a capa e a contracapa. É super meiga e delicada, apesar dos traços e cores fortes. Bem, eu não tenho muito conhecimento em desenho, então é melhor não ficar opinando com muitos detalhes para não correr o risco de falar alguma besteira e cometer uma gafe.
Outro ponto foi que eu ganhei o livro na Bienal de São Paulo, na tarde de autógrafos da Tammy Luciano, que é uma fofa! Super simples e super atenciosa, eu já a tinha conhecido uns dias antes, na Bienal mesmo, quando estava de bobeira no estande da Novo Conceito e, do nada, comecei a bater papo com ela ao, de repente, nos vermos no mesmo grupinho de conversa.

Este livro também faz parte do Desafio Realmente Desafiante. A meta do mês de novembro é ler um livro bem fininho, com menos de 200 páginas.
Garota Replay

Coleção Itaú de Livros Infantis

1 de outubro de 2012 - segunda-feira - 09:51h   ¤   Categoria(s): Dicas, Eventos, Infantojuvenil

O mês das crianças começou e já está acontecendo a edição 2012 do Itaú Criança!

Itaú Criança
Esta ação consiste em incentivar os adultos a lerem para uma criança, com o objetivo de contribuir com a sua educação, cultura e lazer, visando um futuro melhor para o Brasil.

Além disso, é possível receber gratuitamente 3 livros da Coleção Itaú de Livros Infantis. Basta clicar no link “Peça a coleção” no site e preencher os dados.

Os livros deste ano são:
O ratinho, o morango vermelho maduro e o grande urso esfomeado
Leia e leve uma criança a participar da divertida história de um pequeno ratinho, seu precioso morango e um grande urso esfomeado.
 
 
 
 
 
Poesia Na Varanda
Mergulhe na poesia e descubra os versos na canção, na lua cheia, na tristeza, nos grossos pingos de chuva ou na mão estendida de um amigo.
 
 
 
 
 
 
Lino
Passeie pela loja de brinquedos onde Lino mora com a sua melhor amiga, Lua. Nessa história de amizade cheia de mistérios, adultos e crianças podem se divertir e torcer para Lino encontrar sua amiga.
 
 
 
 
 
 
Se você tem filhos, sobrinhos, netos, afilhados para quem poderá ler, não perca esta oportunidade!

O site do Itaú Criança é: http://www.itau.com.br/itaucrianca/

[resenha] As Aventuras de Tom Sawyer

28 de setembro de 2012 - sexta-feira - 09:36h   ¤   Categoria(s): Desafios, Infantojuvenil, Literatura estrangeira, Resenhas, Romance

As Aventuras de Tom SawyerTítulo: As Aventuras de Tom Sawyer
Título original: The Adventures Of Tom Sawyer
Autor: Mark Twain
País: EUA
Ano: 1876
Editora: L&PM
Páginas: 283
Sinopse: As Aventuras de Tom Sawyer é um dos grandes clássicos da literatura americana. Tom Sawyer, o imortal personagem de Mark Twain, um menino astuto, mostra-se tão à vontade no mundo respeitável de sua tia Polly quanto no mundo aventureiro e desprotegido de seu amigo Huck Finn. Os dois vivem uma série de aventuras, acidentalmente presenciando um assassinato e provando a inocência do homem injustamente acusado, assim como sendo caçados por Injun Joe, o verdadeiro assassino, e finalmente escapando e encontrando o tesouro que Joe havia enterrado.
Embora originalmente escrito como história de aventura para jovens, este livro é muito mais do que isto, é um mergulho na vida do interior dos Estados Unidos, especialmente na região do “imenso Mississipi”, na metade do século XIX.
Através das trepidantes aventuras de Tom e Huck, Mark Twain coloca em evidência sua grande habilidade de escritor, seu senso de justiça e sua posição antiescravagista.
Compre: compare preços

– Tom! Onde está você? To-o-om!…
Justamente nesse momento, ela escutou um barulhinho muito leve às suas costas e virou-se bem a tempo de agarrar um meninozinho pelos fundilhos frouxos das calças. O garoto esperneou, mas não conseguiu fugir.
– Ah, peguei! Devia ter me lembrado daquele armário. O que é que você estava fazendo socado lá dentro?
– Nada, titia!
– Ah, nada, é? Olhe o estado das suas mãos! Veja só como sua boca está melada! Que meleca toda é essa?
– Eu não sei, titia!
– Ah, o pobrezinho não sabe!… Pois eu sei muito bem o que é. É geleia, sem a menor dúvida. E olhe que eu já lhe disse milhares de vezes que, se não parasse de mexer nos potes de geleia, eu ia arrancar sua pele!

Avaliação:
Tom Sawyer é um garoto que mora com sua tia Polly, seu irmão mais novo Sid e sua prima Mary. A época é a primeira metade do século XIX e o local é algum condado no Estado de Missouri, nos EUA.

Eu havia decidido ler este livro por causa da importância desta obra na literatura, não só americana, mas também mundial. Mas eu não imaginava que eu pudesse me divertir tanto com a leitura. “As Aventuras de Tom Sawyer” é leve, leve como a inocência de uma criança, que é justamente o personagem principal da história.

Tom é o típico menino atentado. Não consegue parar quieto um minuto, vive aprontando e levando bronca da sua tia Polly, chega atrasado às aulas por perder o foco em alguma brincadeira a caminho da escola, vive sujo da cabeça aos pés por causa das travessuras. Mas é um garoto com um coração puro, ingênuo e bondoso. Nada do que ele apronta e nem seus pensamentos são feitos de maldade.

Uma das coisas constantes na história, e muito bonitinha, é a noção de mundo e de tempo que Tom tem. Uma simples bronca a mais da tia Polly, um pequeno desentendimento com a namoradinha e uma chateação na escola podem ser motivos suficientes para que o menino se sinta terrivelmente miserável em sua vida, fazendo-o decidir que deveria fugir de casa e se tornar pirata. Sim… pirata!!
Ser criança, aliás, é a grande delícia de se ler este livro! O próprio autor recomenda que, apesar de ter sido escrito para o público infantil, nada impede de adultos o lerem, para que relembrem como se sentiam e o que pensavam quando eram crianças.

Um ponto interessante de esclarecimento é que o personagem Huckleberry Finn é um dos amigos de Tom Sawyer neste livro, mas em 1885, é lançado o livro “As Aventuras de Huckleberry Finn”, considerado a obra-prima do autor. Pra quem gosta de ler em ordem, “Aventuras de Tom Sawyer” vem primeiro.

Não deixem de ler este livro! Não apenas por ser um grande clássico, mas também porque realmente é uma história bonita, simples, divertida e que toca o coração do leitor, principalmente daquele que já se esqueceu onde ficaram as suas lembranças mais puras.

“Aventuras de Tom Sawyer” também faz parte do Desafio Realmente Desafiante, cuja meta de setembro era ler um livro de um autor que já é falecido.
As Aventuras de Tom Sawyer

Filme:
Passeando pelo youtube, é possível achar diversas adaptações para a obra. O filme abaixo é a versão de 1938.

[resenha] Camundo – O Desenho e a Sombra

12 de setembro de 2012 - quarta-feira - 22:23h   ¤   Categoria(s): Aventura / Fantasia, Infantojuvenil, Literatura nacional, Resenhas

Camundo - O Desenho e a SombraTítulo: Camundo – O Desenho e a Sombra
Autor: Nanuka Andrade
País: Brasil
Ano: 2011
Editora: Underworld
Páginas: 379
Sinopse: Depois de fugir de um asilo de desvalidos, Camundo encontra abrigo na casa de um rico e influente ervateiro. O que poderia ser um final feliz para um menino abandonado acaba se tornando em uma infeliz sucessão de acidentes e infortúnios. Camundo não é um menino comum; é capaz de desenhar coisas terríveis, que acontecem logo em seguida: incêndios, acidentes e crimes, entre outras temeridades. O que Camundo não sabe é que desenhos assim podem despertar interesse de gente perigosa, como uma sociedade secreta, conhecida por Asseclas do Lagarto, que está disposta a tudo para trazer um segredo milenar à tona, escondido nos corredores subterrâneos da cidade.
Compre: compare preços
Avaliação:

Camundo desenhava.
Sim.
Desenhos sombrios.
Como nossa história diz coisas sobre desenhos, digo logo que os desenhos de Camundo não eram, definitivamente, do tipo que você conhece.
[...]
Bem, se querem saber, havia mesmo algo de realmente fantástico sobre eles.
Os desenhos “aconteciam”.
Não. Não. Não como uma coincidência infeliz; deixe-me explicar.
Os desenhos de Camundo ganhavam vida no curto espaço de tempo que compreendia o traço e o futuro iminente.
Assim, como é possível e até onde pode se entender, tudo o que era desenhado EM-SEGUIDA-ACONTECIA.

Camundo é um órfão que tem o estranho dom de desenhar fatos terríveis que vinham a acontecer em pouco tempo, alguns dias depois. Após fugir do asilo onde morava e ganhar abrigo na casa de um rico tutor, sr. Elano Duarte, o garoto fica sabendo que seus desenhos podem envolvê-lo em muito mais perigos do que imaginava. Juntamente com Malini e Cindina – respectivamente filha e protegida do sr. Duarte -, Camundo irá investigar por que há tanta gente interessada em seus desenhos, quem são os Asseclas do Lagarto que parecem estar perseguindo-o e se realmente existem sociedades secretas que vivem no subterrâneo.

Se eu tivesse que definir este livro em 2 palavras, seriam: pura aventura! A história é divertida por si só, e me fez pensar em Goonies, em Sessão da Tarde, em infância repleta de imaginação. Os 3 personagens principais são crianças muito encantadoras, cada uma com sua personalidade bem definida. Corajosas, metem-se em diversas situações de perigo, indo atrás de investigações, fazendo descobertas, enfrentando adultos sem medo. Magia e mistério são elementos que estão presentes ao longo do livro inteiro, o que contribui muito para o leitor retornar aos seus tempos de criança conforme a história se desenrola.

Um outro aspecto muito especial que notei em Camundo – O Desenho e a Sombra foi a escrita em si. O narrador, em 3ª pessoa, é interativo, como se conversasse com o leitor enquanto conta a história. Além disso, a linguagem utilizada tem um quê de antiga, não só no vocabulário mas também na estrutura, na construção de frases. Isso acaba criando um clima todo diferente, já que o livro se passa nos anos 1920.

Outro destaque vai para a capa e as ilustrações, feitos pelo próprio autor, Nanuka Andrade, que também é desenhista. A cada início de capítulo, ele nos presenteia com um bonito desenho que faz referência ao que acontece na história.

Eu recomendo este livro especialmente pela deliciosa sensação de voltar para a época mais inocente e imaginativa de nossas vidas. Com a leitura de Camundo – O Desenho e a Sombra, vai ser impossível impedir de despertar a criança adormecida em você!
Camundo - O Desenho e a Sombra