Categoria: ‘Literatura nacional’

[resenha] O Advogado da Vida

15 de fevereiro de 2013 - sexta-feira - 09:05h   ¤   Categoria(s): Literatura nacional, Resenhas, Romance, Suspense / Ação

O Advogado da VidaTítulo: O Advogado da Vida
Autor: Jean Postai
País: Brasil
Ano: 2012
Editora: Novo Século
Páginas: 415
Sinopse: Quando começa o direito à vida? Essa pergunta fica quase impossível de ser respondida quando o médico Arthur Galanidel é preso por supostamente realizar abortos ilegais em sua clínica, inclusive em uma menor de idade. O advogado David é escalado para defender o caso, sofrendo a pressão da imprensa e da sociedade, que discutem se uma mulher tem ou não o direito de abortar e se o médico é ou não um criminoso. Será que David conseguirá convencer os jurados a inocentar o médico? Em quais situações é permitido a uma mãe optar por dar ou não à vida a seu filho? Neste emocionante thriller jurídico, as perseguições, tramas e provas são misturadas a todo momento, criando um romance fantástico, de tirar o fôlego. Tudo isso para, no final das contas, o caso ser julgado por sete jurados que decidirão onde começa e até onde vai o mais fundamental dos direitos: o direito à vida.
Compre: compare preços

David se aproximou mais e ficou chocado com o que viu. Era ali, no meio daquela favela, que diversos abortos eram realizados de maneira completamente ilegal, à margem do Estado. Estavam numa clínica clandestina. Era ali que pessoas sem qualquer formação realizavam procedimentos cirúrgicos arriscados, com pouco ou nenhum conhecimento da Medicina, tudo porque muitas mulheres pobres não podiam realizar o aborto em outro lugar, com melhores condições.

Avaliação:
O doutor Arthur Galanidel, obstetra renomado e com clientes ricos e famosos, foi preso acusado de realizar abortos ilegais em sua elegante clínica, inclusive de menores de idade. Mesmo com condições financeiras para contratar um advogado experiente, Arthur prefere escalar David Puskas, um jovem cujo escritório de advocacia ainda não começou a dar lucros animadores. Do outro lado, a acusação do Ministério Público, a imprensa e agressiva promotora Morgana Corbani.
Sob absurda pressão e correndo contra o tempo, o advogado do médico terá que se desdobrar para encontrar provas e argumentações que sejam convincentes para inocentar seu cliente. Em seu caminho, encontrará tanto pessoas querendo ajudar quanto querendo prejudicar a qualquer custo.

Acho que não estarei exagerando se disser que O Advogado da Vida já começou prendendo minha atenção na primeira página. E leitura calma é algo que eu não consegui encontrar em nenhum momento da história! Seja estando tensa nos momentos de suspense, seja correndo na leitura junto com a velocidade das cenas de ação, seja segurando a respiração nos diálogos mais inteligentes e decisivos, o livro te agarra de um jeito que você quer sempre ler mais, para saber o que vai acontecer a seguir.
Entretanto, este livro não é apenas um thriller muito bem escrito e com um ótimo enredo. O Advogado da Vida trata de um assunto extremamente polêmico em nossa sociedade: a legalidade do aborto. Ao longo da história, o tema é exposto sob os dois pontos de vista, mostrando fatos e informações contra e a favor. Para mim, em particular, a leitura foi muito enriquecedora, pois sou justamente uma pessoa que não tem exatamente uma posição em relação ao aborto, mas está aberta a escutar qualquer argumento. E eu acho que é justamente com esse tipo de pensamento que este livro deve ser lido.

Outro ponto que achei extremamente interessante está no fato de os termos jurídicos, usados com muita frequência no texto inteiro, não tornarem, de jeito nenhum, a leitura pesada, morosa ou difícil. Eu, que nunca me interessei por Direito, achei extremamente agradável ter aprendido alguns conceitos.

Eu gostei de verdade deste livro, e queria agradecer – sim, neste post – ao Jean Postai pela oportunidade de poder ler uma história emocionante e dinâmica, que expandiu mais a minha opinião sobre o aborto e me ensinou muito.
O Advogado da Vida

[resenha] Os Herdeiros dos Titãs – A Mão do Destino

17 de janeiro de 2013 - quinta-feira - 18:24h   ¤   Categoria(s): Aventura / Fantasia, Literatura nacional, Resenhas

Os Herdeiros dos Titãs - A Mão do DestinoTítulo: Os Herdeiros dos Titãs – A Mão do Destino
Autor: Eric Musashi
País: Brasil
Ano: 2012
Editora: Giostri
Páginas: 498
Sinopse: Nuvens cinzentas atravessam velozmente o firmamento. O vento sibilava, levando consigo folhas e o resto de vegetação seca que havia naquela paisagem árida. Era fim de tarde e relâmpagos ribombavam seguidamente. Solitário, com as roupas quase a serem arrancadas de seu corpo, Arion segurava firmemente a espada. Ele ofegava. Ggggrrrrrr! Foi o rosnado. Então veio a primeira sombra. E depois a Segunda, a terceira, e tantas que Arion se achou cercado delas. Em sua mão direita, sentia fluírem o calor e o criativo poder etéreo da Dalhebal, o sevaste que tornava tudo possível. Para Arion, era como se estivesse de novo na Floresta Sem Vida, mas não havia mal-estar ou incapacidade de invocar a magia do éter. E eis que a batalha o engolfou. Cercado, sabia que precisaria lutar pela vida. Arion estava só, no meio de tempestade, com lobos querendo sua carne. Aí ouviu uma voz: – Arion, Arion, por que não olhas para mim?
Compre: compare preços

Arion deu um grito de dor, e puxou o pedaço da flecha que ainda estava na sua perna, jogando-a ao vento. Muito sangue começou a ser derramado dali, e com a mão esquerda ele apertou a roupa de Luderás, de modo que este pôde perceber claramente. Em seguida, Luderás sentiu um gosto de sangue na boca, uma mistura de um sabor ferroso e um gosto amargo de dor, uma dor que era nociva demais, uma vez que anunciava um futuro incerto. Ficou tonto, e resolveu parar, pois não mais conseguiria continuar assim.

Avaliação:
A Mão do Destino é o segundo livro da dualogia Os Herdeiros dos Titãs. A resenha do primeiro livro, De Lutas e Ideais, encontra-se aqui. Se você não leu o primeiro, não se preocupe, pois estou tomando cuidado para não emitir spoilers.

Se nas primeiras páginas do livro anterior eu pude rapidamente perceber a grandiosidade da história, neste segundo livro, eu pude comprová-la. A Mão do Destino conta sobre os importantes acontecimentos que definem o futuro do Reino de Atala, tendo Arion e Téoder como líderes dos eventos. Há intrigas, mentiras, manipulações, mas também há amor, amizade, lealdade, grandes revelações, lutas e sacrifícios. Há heroísmo do tipo mais nobre e respeitável. Há traição do tipo mais desprezível. Os Herdeiros dos Titãs é o que realmente pode-se chamar de saga. Tem o porte e tem a estrutura para merecer tal título, tem personagens que fazem jus ao poder devastador de suas espadas, tem cidades e povos tão diferentes que parecem reais, tem uma deusa sobre a qual se descobriu a verdade.

Numa época em que se tem discutido muito a falta de incentivo à literatura nacional, eu recomendo pessoalmente a leitura de Os Herdeiros dos Titãs, principalmente para quem está à procura de uma história robusta de aventura.
Peço desculpas por estar apresentando a vocês uma resenha curta, mas além do problema de não poder ficar contando muito sobre o enredo, também não gostaria de ficar repetindo mil vezes a palavra “grandioso” para descrever o mundo que Eric Musashi criou. Se tivesse que apostar em um autor nacional com muito potencial, eu não teria medo de dizer o nome do Eric.

Também já foi lançada a HQ da saga, intitulada Rito de Passagem, que conta sobre eventos anteriores àqueles relatados na dualogia. Com certeza já está programada nas minhas futuras leituras!
Os Herdeiros dos Titãs - A Mão do Destino

[parceria] autor: Jean Postai

11 de dezembro de 2012 - terça-feira - 11:23h   ¤   Categoria(s): Literatura nacional, Parcerias, Romance

Oie, pessoal!! O blog está com nova parceria! É o Jean Postai, autor do livro “O Advogado da Vida”.

JEAN POSTAI
Jean Postai(textos copiados da página da editora, linkada no fim do post)
Jean Postai iniciou sua carreira no mundo jurídico aos 14 anos, trabalhando como office-boy em um escritório de advocacia. Após, foi estagiário de Direito tanto em escritório de advocacia quanto no Tribunal de Justiça e bacharel, até tornar-se advogado, pós-graduado em Direito Civil pela PUC-PR. Atualmente, é sócio do escritório Souza Postai Advogados Associados, em Joinville, Santa Catarina. Além da advocacia, é apaixonado por viagens, razão pela qual já viajou para todos os continentes do planeta apenas com uma mochila nas costas, com exceção da Antártica (que não vai sossegar até conhecer).

 
 
O ADVOGADO DA VIDA
O Advogado da VidaTítulo: O Advogado da Vida
Gênero: Romance
Páginas: 416
Sinopse: Quando começa o direito à vida? Essa pergunta fica quase impossível de ser respondida quando o médico Arthur Galanidel é preso por supostamente realizar abortos ilegais em sua clínica, inclusive em uma menor de idade. O advogado David é escalado para defender o caso, sofrendo a pressão da imprensa e da sociedade, que discutem se uma mulher tem ou não o direito de abortar e se o médico é ou não um criminoso. Será que David conseguirá convencer os jurados a inocentar o médico? Em quais situações é permitido a uma mãe optar por dar ou não à vida a seu filho? Neste emocionante thriller jurídico, as perseguições, tramas e provas são misturadas a todo momento, criando um romance fantástico, de tirar o fôlego. Tudo isso para, no final das contas, o caso ser julgado por sete jurados que decidirão onde começa e até onde vai o mais fundamental dos direitos: o direito à vida.

Links:
Skoob do livro: aqui
Página no site da editora: aqui

 
Obrigada, Jean, pela parceria e confiança no blog! Muito sucesso para o seu livro!

[resenha] Garota Replay

13 de novembro de 2012 - terça-feira - 17:04h   ¤   Categoria(s): Desafios, Infantojuvenil, Literatura nacional, Resenhas, Romance

Garota ReplayTítulo: Garota Replay
Autor: Tammy Luciano
País: Brasil
Ano: 2012
Editora: Novo Conceito
Páginas: 144
Sinopse: Thizi é uma garota do bem, apaixonada pela vida. Mas, após uma madrugada trágica, sente que tudo à sua volta desmorona. Descobre que Tadeu, seu namorado, beijou uma garota em uma noitada e quebrou o nariz de Tito, melhor amigo de Thizi, quando soube que ele fotografou a prova da traição. Na mesma noite, Tadeu dirigiu bêbado e causou grave acidente, que deixou o amigo Gabiru em coma. Em meio a tanta decepção, Thizi encontra uma Replay de si mesma, uma igual. Agora, não mais a única do planeta, ela se sente a pessoa mais solitária do mundo e precisa entender que o amor tem o poder de provocar as melhores mudanças.
Compre: compare preços

Pelo jeito da moça, ela tinha se dado melhor nos encontros com a sorte do que eu. Os cabelos eram supertratados, a pele macia como uma seda, o olhar brilhante e um semblante de realização, me fazendo refletir sobre as vezes em que culpei minha aparência física pelos não acertos.

Avaliação:
Thizi é uma garota de 20-e-poucos anos cujos pais passam, pelo menos, 10 meses do ano viajando. Seu namorado, Tadeu, tem o costume de traí-la com a Barra da Tijuca inteira, na frente de quem estiver lá para ver. Tito, seu melhor amigo, vive querendo alertá-la sobre as safadezas do namorado. Em uma certa noite, Tito fotografou Tadeu beijando uma garota em uma balada. Após uma confusão em que Tadeu dá um soco em Tito e quebra seu nariz, Tadeu se envolve em um acidente de carro, por dirigir bêbado, levando seu amigo Gabiru a ficar em coma.
Depois dos confusos e trágicos acontecimentos envolvendo seu namorado e seu melhor amigo, em que não sabe direito o que fazer, Thizi resolve sair para espairecer. Em uma balada, simplesmente do nada, vê uma garota que é idêntica a si mesma. Não era apenas alguém parecido com ela, mas definitivamente uma cópia. A diferença é que a sua “gêmea” estava mais bem vestida, usava acessórios mais elegantes e uma maquiagem mais bonita. Como se isto não bastasse, a cópia também parecia ser uma garota mais segura, mais autoconfiante e mais experiente. Ou seja, um clone melhorado de Thizi.
Após esta estranha aparição, além de ter que lidar com o namorado internado no hospital e o melhor amigo que a partir de agora quer distância, Thizi também resolve descobrir quem é, afinal de contas, a sua replay.

O livro é uma delícia de se ler! É leve, é cativante, flui que é uma maravilha. É o tipo de escrita que vai simplesmente levando o leitor sem ele perceber. A história é muito bonitinha, com uma grande virada no enredo que me deixou boquiaberta, mas o que mais me encantou foi o significado da Garota Replay. Achei a ideia bastante original e ficava imaginando, durante a leitura, o que eu pensaria se encontrasse uma replay minha e depois descobrisse o que ela é.
Acho que este livro, não só pelo entretenimento em si, vale como uma boa leitura para uma oportunidade de reflexão sobre a forma como você está deixando a sua vida ser conduzida.

Eu também gostei muito da ilustração que cobre a capa e a contracapa. É super meiga e delicada, apesar dos traços e cores fortes. Bem, eu não tenho muito conhecimento em desenho, então é melhor não ficar opinando com muitos detalhes para não correr o risco de falar alguma besteira e cometer uma gafe.
Outro ponto foi que eu ganhei o livro na Bienal de São Paulo, na tarde de autógrafos da Tammy Luciano, que é uma fofa! Super simples e super atenciosa, eu já a tinha conhecido uns dias antes, na Bienal mesmo, quando estava de bobeira no estande da Novo Conceito e, do nada, comecei a bater papo com ela ao, de repente, nos vermos no mesmo grupinho de conversa.

Este livro também faz parte do Desafio Realmente Desafiante. A meta do mês de novembro é ler um livro bem fininho, com menos de 200 páginas.
Garota Replay

[resenha] O Caso Laura

30 de outubro de 2012 - terça-feira - 17:59h   ¤   Categoria(s): Desafios, Literatura nacional, Resenhas

O Caso LauraTítulo: O Caso Laura
Autor: André Vianco
País: Brasil
Ano: 2011
Editora: Rocco
Páginas: 270
Sinopse: O Caso Laura’ conta a história de um detetive particular contratado para investigar os encontros que Laura mantém com um homem misterioso. Inicialmente, as gravações das conversas da protagonista com o estranho não revelam nada de espetacular; mas quando o investigador passa a seguir o enigmático sujeito, revelações conduzem a narrativa para o desfecho.
Compre: compare preços

Marcel coçou o queixo. Se o cara queria discrição, por que tinha escolhido um bar tão movimentado? Certamente o cliente nunca estivera lá e isso garantiria certo anonimato. Nenhum garçom, engraçadinho iria fazer brincadeira e revelar alguma informação sobre o sujeito misterioso. Ninguém ia fixar o rosto de dois caras no meio de tantas outras pessoas. Fazia sentido. Talvez o figurão nem fosse da cidade, pensou. E se o sujeito tinha escolhido a mesa pessoalmente, acertara na mosca. Ficava no canto, à meia-luz, sem chamar a atenção.

Avaliação:
Laura já tentou suicídio uma vez e está prestes a tentar novamente. Desta vez, o motivo será a morte do pai, que está em coma. Única pessoa que Laura tem como familiar atualmente, o pai sempre foi uma pessoa próxima, amigo, companheiro. Mas Laura tem um novo amigo, com quem vem conversando diariamente, nos últimos dias. Ela não sabe nada sobre este homem, a não ser o fato de que conversar com ele a acalma, traz-lhe tranquilidade.
Marcel é um detetive particular. Um belo dia, é contratado por um cliente anônimo, que deseja que ele investigue Laura e, principalmente, o sujeito com quem ela vem conversando. Oferece uma quantia generosa como adiantamento e simplesmente não quer mostrar o rosto nem dar o nome ao detetive.
Alan perdeu sua esposa por causa de uma bala perdida. Policial civil, decidiu tornar-se uma espécie de justiceiro, eliminando com suas próprias mãos os maus elementos da sociedade. Suas ações vinham sendo acobertadas pelo delegado titular da maneira que fosse possível, até que uma agente da Corregedoria aparece para acompanhar Alan de perto.

O que estas histórias têm em comum? Aonde o desenrolar de cada uma delas vai levar?

“O Caso Laura” é um livro um pouco complicado de se resenhar, pois não é o que parece ser. Não posso contar muito da história para não dar pistas da sua conclusão, mas também não posso sugerir aos leitores do blog que o livro é aquilo que ele não é. E nem vou colocar a tag de qual gênero se trata para não estragar a surpresa. Ficou misterioso demais e complicado de entender?

De qualquer forma, eu gostei muito do livro, das reviravoltas que ele dá e de como, no fim das contas, as 3 histórias se convergem no final. Um único porém que eu não deveria deixar de observar é com relação ao ritmo da trama. A própria orelha da capa fala que o autor arma o seu texto como se fosse uma montanha-russa, com altos e baixos e acelerações bruscas. Confesso que esta parte me incomodou um pouco, pois estas mudanças repentinas davam a impressão de que o livro passava a ter outro gênero, totalmente diferente. Tirando isto, eu recomendaria para quem quiser ler algo não-vampiresco do André Vianco.

“O Caso Laura” também faz parte do Desafio Realmente Desafiante, cuja meta do mês de outubro era ler um livro de um autor que nasceu no mesmo Estado que você. Eu sou de São Paulo.
O Caso Laura