Categoria: ‘Lançamentos Que Eu Quero’

Lançamentos Que Eu Quero #00 e #01

16 de março de 2014 - domingo - 19:24h   ¤   Categoria(s): Lançamentos Que Eu Quero

Lançamentos Que Eu Quero #00

Eu adoro inventar novas seções no meu blog, mesmo que elas acabem não sendo frequentes, ou mesmo que acabem nem passando da 2ª edição. Hahaha! Ah… estou sendo sincera e realista, vai.

A seção que estou começando hoje chama-se “Lançamentos que Eu Quero”. Eu gosto muito de ficar xeretando a parte de pré-venda dos sites das livrarias, para saber o que está para ser publicado. Depois, nos meus passeios de fim-de-semana em livrarias físicas, fica mais fácil para identificá-los e pegá-los para xeretar a parte de dentro.

Nós, blogueiros, costumamos postar os lançamentos das editoras de quem somos parceiros, mas eu queria fazer diferente. Independentemente da parceria, eu queria mostrar 2 ou 3 livros que realmente me agradariam ou que vocês poderiam achar interessantes. Nada muito diferente do tradicional: fotinho, alguns dados técnicos, sinopse e, adicionalmente, um comentário meu, explicando por que eu quero esse livro ou por que você deveria querer, rs.

Vamos à primeira edição, então? =)

 
Lançamentos Que Eu Quero #01

As sombras de LongbournTítulo: As sombras de Longbourn
Autor: Jo Baker
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 456
Data de lançamento: 13/03/2014
Sinopse: Admiradora de Jane Austen, a romancista Jo Baker perguntava-se quem seriam aquelas presenças pontuais e quase inumanas que serviam à mesa ou entregavam um recado para os personagens de Orgulho e preconceito, um dos romances mais recontados em versões literárias desde a sua publicação, há duzentos anos. Por trás de cada descrição da toalete das irmãs Bennet havia certamente o trabalho de uma criada, e cada refeição servida implicava uma cozinheira, um mordomo para servi-la. Qual seria a história não contada desses personagens? As sombras de Longbourn é o romance dessas figuras invisíveis. Sob o comando da governanta e cozinheira sra. Hill, trabalham Sarah e Polly, duas jovens trazidas de um orfanato quando ainda eram crianças para trabalhar na casa. O mordomo idoso, sr. Hill, serve à mesa e divide a administração da casa com a sra. Hill. Os quatro formam um pequeno exército de empregados que labuta dezoito horas por dia para que a família Bennet goze do máximo conforto possível. A chegada de James Smith, um jovem lacaio recém-contratado, irá movimentar o andar de baixo da casa, revelando antigas tensões entre empregados e patrões.
Por quê? Porque é um derivado de Orgulho e preconceito. Tem argumento mais forte do que esse? Além disso, na capa também fala que tem um toque de Downton Abbey. Eu assisti a apenas 1 episódio desse seriado e fiquei com uma mega coceira para continuar assistindo a outros episódios. Só não o fiz por causa da minha extrema falta de foco pra acompanhar seriados. De qualquer forma, achei bem interessante essa questão de ver outra visão da história. Vontade de reler Orgulho e preconceito e depois comprar e devorar esse As sombras de Longbourn!

 
A filha do sangueTítulo: A filha do sangue
Autor: Anne Bishop
Editora: Saída de Emergência
Páginas: 432
Data de lançamento: 20/03/2014
Sinopse: O Reino Distorcido se prepara para o cumprimento de uma antiga profecia – a chegada de uma nova Rainha, a Feiticeira que tem mais poder que o próprio Senhor do Inferno. Mas ela ainda é jovem, e por isso pode ser influenciada e corrompida. Quem a controlar terá domínio sobre o mundo. Três homens poderosos – inimigos viscerais – sabem disso. Saetan, Lucivar e Daemon logo percebem o poder que se esconde por trás dos olhos azuis daquela menina inocente. Assim começa um jogo cruel, de política e intriga, magia e traição, no qual as armas são o ódio e o amor. E cujo preço pode ser terrível e inimaginável.
Por quê? Algumas palavras-chave me chamaram a atenção na sinopse: profecia, inferno, política, intriga, traição, Saetan, Lucivar e Daemon. Eu percebi que, de uns tempos para cá, não tenho tido muita paciência com histórias de magia e espada se elas não tiverem algo a mais. Esse livro parece ter o algo a mais. Política e intriga geralmente são elementos que contribuem para trazer ao texto o aspecto humano, mas no seu pior lado. A história também parece ser grandiosa (é uma trilogia!). E a editora disse que a capa é no mesmo estilo de A corte do ar!

 
Crianças francesas dia a diaTítulo: Crianças francesas dia a dia
Autor: Pamela Druckerman
Editora: Fontanar
Páginas: 128
Data de lançamento: 27/03/2014
Sinopse: Um guia prático para pais e cuidadores. Como ensinar seu filho a ter paciência? Como fazer com que ele experimente legumes e verduras? Como encorajar seu bebê a dormir a noite toda? É possível ter um filho e, ainda assim, ter vida social e momentos românticos a dois? Em ‘Crianças francesas dia a dia’, Pamela Druckerman revela as lições do estilo francês de criar filhos de forma simples e direta e traz ainda as receitas favoritas dos cardápios das creches parisienses. Espirituoso, conciso e repleto de bom senso, o livro oferece uma mistura de dicas e princípios vitais para ajudar os pais a encontrarem seu caminho.
Por quê? É da mesma autora de Crianças francesas não fazem manha. Não li esse livro anterior, mas dei uma olhada em alguns trechos ao folhear na livraria e me pareceu muito interessante. Pamela Druckerman é uma jornalista americana que vive em Paris e afirma que as crianças francesas parecem muito mais calmas e educadas que as americanas. Eu não leria tão já porque acho que ainda estou longe de ter filhos (se é que vai dar tempo, rs), mas imagino que os conceitos abordados devem refletir muito a cultura do país. E já que eu, imagine, nem gosto de qualquer coisa relacionada à França… ^_~

 
Espero que gostem dessas recomendações. Vou tentar fazer esses posts mensalmente, ok?