Tag: ‘Antropologia’

[resenha] O Mito da Monogamia

28 de novembro de 2011 - segunda-feira - 15:04h   ¤   Categoria(s): Literatura estrangeira, Psicologia, Resenhas

O Mito da MonogamiaTítulo: O Mito da Monogamia
Título original: The Myth Of Monogamy
Autor: David P. Barash e Judith Eve Lipton
País: EUA
Ano: 2002
Editora: Record
Tradutor: Ryta Vinagre
Páginas: 320
Sinopse: Neste livro, utilizando novas pesquisas sobre sexo no mundo animal, os cientistas David P. Barash e Judith Eve Lipton põem fim à idéia de que a monogamia surge naturalmente. Na verdade, os biólogos descobriram que, para quase toda espécie, trair é a regra – para ambos os sexos.
Compre: compare preços

”Em quase todos os mamíferos, inclusive na maioria dos primatas, não aparece a monogamia. Nem os cuidados masculinos com os jovens. Já as aves, embora nem de longe tão monógamas como se pensava antigamente, pelo menos tendem a esse sentido. (Podemos dizer o mesmo dos seres humanos.) E não apenas isso, mas a monogamia social – ao contrário da monogamia genética – tem uma forte correlação com o envolvimento dos pais e das mães na criação dos filhos, uma situação que é comum em aves e muito incomum entre mamíferos, a não ser pelo primata semelhante às aves, o Homo sapiens.

Avaliação:
Título chamativo, assunto polêmico.

Este livro, além de afirmar que a monogamia como a conhecemos praticamente não existe no Reino Animal, também redefine o seu conceito, abrindo-a em 2 tipos: a monogamia social e a genética.

A monogamia social ocorre quando um macho e uma fêmea formam um casal e se ocuparão, juntos, da criação, alimentação e proteção dos seus filhotes. Já a monogamia genética se refere aos casos em que o macho e a fêmea copularão somente um com o outro, dentro do casal que eles formam. Ou seja, na monogamia social, nem todos os filhotes deverão ser descendentes ao mesmo tempo do macho e da fêmea do casal, devido à prática de cópulas extrapar.

Dentre os mamíferos, inclusive os primatas não-humanos, a ocorrência de qualquer tipo de monogamia é algo bastante raro. Já entre as aves, que eram tidas pelos biólogos como o maior exemplo de monogamia entre os animais, são, na verdade, adeptas da monogamia social. Sendo assim, nós, seres humanos, pelo nosso “modus operandi” em relação à perpetuação da espécie, seríamos muito mais aparentados com as aves do que com nossos primos macacos.

De forma bastante didática e através de inúmeros exemplos, baseados em estudos e observações de diversos animais – mas principalmente aves –, os autores relatam e analisam as variações do comportamento reprodutivo tanto do ponto de vista dos machos quanto das fêmeas.

Com base nestas observações, chega-se à conclusão de que os seres humanos são naturalmente polígamos, tendo inclusive evidências morfológicas e fisiológicas para garantir tal afirmação. Mas talvez a questão principal não seja apenas o que a Biologia diz, e sim, por qual razão optamos por ser monogâmicos (ainda que sociais). Como e por que a monogamia surgiu? Apesar dos seus desvios, por que ela funciona na maioria das sociedades? Por que em alguns povos polígamos, a monogamia também ocorre? Por que as tentativas de se criar uma sociedade utópica baseada na poligamia fracassaram? Por que, no fim das contas, a monogamia pode valer a pena?

Eu realmente gostei muito desse livro e minhas expectativas não só foram atendidas com relação ao seu conteúdo, mas também com relação à forma como foi exposto. A linguagem acessível, o humor no tom certo, as discussões científicas ou filosóficas e a forma como a abordagem do tema faz com que pensamentos preconceituosos e equivocados caiam por terra, tudo isso tornou a leitura extremamente agradável.

Recomendadíssimo!
O Mito da Monogamia

Veja também:

[resenha] Desvendando os Segredos da Atração Sexual

17 de outubro de 2011 - segunda-feira - 16:54h   ¤   Categoria(s): Autoajuda, Literatura estrangeira, Resenhas

Atração SexualTítulo: Desvendando os Segredos da Atração Sexual
Título original: Why Men Want Sex And Women Need Love
Autores: Allan e Barbara Pease
País: Austrália
Ano: 2009
Editora: Sextante
Tradutor: Marcia Oliveira
Páginas: 255
Sinopse: Neste livro, Allan e Barbara Pease pretendem revelar a verdade sobre homens e mulheres, colocando em foco aspectos críticos e intrigantes do amor e do sexo. Eles transformam os resultados de pesquisas na área em uma leitura a todos os que desejam entender e vencer os desafios das relações amorosas. As informações reunidas nesse livro visam ajudar solteiros que estão em busca de um par, casais que precisam de orientação e aqueles que desejam manter o parceiro sempre feliz e colher os frutos que isto proporciona.
Compre: compare preços

Os cinco erros mais comuns em um novo relacionamento
Muita gente vai se identificar com o que lerá a seguir, pois não são poucas as pessoas que já tomaram essas decisões erradas em algum momento da sua vida.
[para cada um dos itens, há, no livro, o detalhamento e explicação]
Erro nº1: fazer escolhas sob a influência dos hormônios
Erro nº2: negar os problemas
Erro nº3: escolher pessoas carentes
Erro nº4: ser complacente
Erro nº5: escolher um parceiro acreditando que você vai mudá-lo

Avaliação:
Antes de comentar sobre o conteúdo em si, eu queria fazer uma observação quanto ao título deste livro, que é dos mesmos autores de “Por Que os Homens Fazem Sexo e as Mulheres Fazem Amor?”, já resenhado aqui no Verbo: ler.
O título original de “Por Que os Homens Fazem Sexo e as Mulheres Fazem Amor?” é Why Men Don’t Listen & Women Can’t Read Maps. Já o título original do livro desta resenha, “Desvendando os Segredos da Atração Sexual” é, por sua vez, Why Men Want Sex And Women Need Love.
Por que essa bagunça com as traduções? Bom, se eu fosse chutar alguma explicação, eu suporia que um título do tipo “Por que os homens não ouvem e as mulheres não conseguem ler mapas” não teria tanto impacto para o público brasileiro. E talvez os tradutores não contassem com o fato de que, 9 anos depois, os mesmos autores lançariam um livro com o título exatamente igual ao utilizado em uma outra tradução adaptada.

O leitor que estiver numa livraria, com estes 2 livros na mão, decidindo qual levar, poderia se perguntar: “Mas qual a diferença do assunto tratado por eles?”. Pois é, justamente os títulos em inglês deixam isso um pouco mais claro, coisa que não acontece com os títulos em português.

Por Que os Homens Fazem Sexo e as Mulheres Fazem Amor?” trata das diferenças entre homens e mulheres num aspecto mais amplo, de comportamentos gerais, do dia-a-dia, e mostra como isso afeta a convivência entre quaisquer pessoas de sexos opostos, sejam cônjuges, amigos, colegas de trabalho ou membros de uma família.
Já o “Desvendando os Segredos da Atração Sexual” foca apenas no relacionamento amoroso e sexual entre pessoas de sexos opostos e como isso é afetado pelas suas diferenças comportamentais. Alguns tópicos interessantes são:
- Como a mulher e o homem entendem o amor de formas diferentes no cérebro
- Como os relacionamentos mudaram nos últimos 50 anos
- O que os homens querem de verdade
- O que as mulheres querem de verdade
- Sexo casual e infidelidade
- Como encontrar um parceiro ideal
- Qual a sua “cotação no mercado” e como melhorá-la

Eu sou muito suspeita para falar de livros deste tipo de assunto, pois sou fascinada. E talvez justamente por este motivo, apesar de eu ter gostado muito do livro, no fundo, para mim, ele não trouxe nada de novo. Mas é sempre bom reler algo que a gente já tenha aprendido antes, para reforçar. E é melhor ainda se for da maneira agradável que é com textos fluidos do casal Pease.
Atração Sexual

Veja também:

[resenha] Por Que os Homens Fazem Sexo e as Mulheres Fazem Amor?

27 de julho de 2011 - quarta-feira - 21:18h   ¤   Categoria(s): Autoajuda, Literatura estrangeira, Resenhas

Por Que os Homens Fazem Sexo e as Mulheres Fazem Amor?Título: Por Que os Homens Fazem Sexo e as Mulheres Fazem Amor?
Título original: Why Men Don’t Listen & Women Can’t Read Maps
Autores: Allan e Barbara Pease
País: Austrália
Ano: 2000
Editora: Sextante
Tradutor: Neuza M. Simões Capelo
Páginas: 239
Sinopse: Homens e mulheres são e reagem de forma diferente, o que torna o seu convívio difícil, muitas vezes áspero e gerador de ressentimentos. Mas quais são as razões dessas diferenças é até que ponto elas podem ser superadas? Como aprender a lidar com elas e administrá-las para sermos felizes em nossos relacionamentos com o outro sexo? Barbara e Allan Pease percorreram vários países e consultaram dezenas de cientistas para preparar este livro sobre as diferenças e os modos de pensar e agir de homens e mulheres. Investigaram as surpreendentes conclusões das últimas pesquisas sobre o cérebro, investigaram a Biologia Evolutiva, analisaram trabalhos de psicólogos, observando as transformações sociais e entrevistando centenas de pessoas. O resultado está neste livro que oferece um instrumento importante para, ao verificar e compreender as diferenças, estabelecer uma relação harmoniosa entre homens e mulheres, seja no casamento, na vida profissional, na forma de educar os filhos ou em qualquer campo do relacionamento humano.
Compre: compare preços

A pesquisa mostra também que o lado esquerdo do cérebro das meninas se desenvolve mais depressa que o dos meninos. Por isso, elas falam melhor e mais cedo, conseguem ler antes e aprendem mais rapidamente uma segunda língua. E é por isso também que os consultórios dos fonoaudiólogos estão cheios de meninos.
Nos meninos, no entanto, o lado direito do cérebro amadurece antes do das meninas. Assim, desenvolvem melhor e mais cedo a percepção, a lógica e a orientação espacial. De um modo geral são superiores em matemática, em construções, na montagem de quebra-cabeças e na resolução de problemas.
Pode parecer politicamente correto fingir que as diferenças entre os sexos são pequenas e sem importância, mas inúmeras evidências apontam em outra direção: fomos estruturados de maneiras diferentes e evoluímos com inclinações e habilidades inatas incrivelmente variadas.

Avaliação:
Por que os homens devem assumir a direção à noite?
Por que as mulheres têm um “sexto sentido”?
Por que os meninos não ouvem?
Por que as mulheres falam tanto?
Por que os homens detestam estar errados?
As mulheres podem melhorar sua habilidade espacial?
Por que os homens escodem as emoções?
As mulheres são maníacas sexuais?
Por que os homens acionam o controle remoto?

Por-que-os-homens-isso-e-as-mulheres-aquilo é um assunto que me fascina desde a 1ª vez que li este livro, 9 anos atrás. Por ser de linguagem fácil e possuir bons toques de humor, o livro flui de maneira incrível, sempre leve, principalmente se pararmos para pensar que ele trata de um assunto que poderia ser exposto de maneira bastante científica, maçante e até polêmica.

Entretanto, “Por Que os Homens Fazem Sexo e as Mulheres Fazem Amor?” tem o tom certo e necessário para nos fazer entender e aceitar que mulheres e homens são diferentes, sim, não importa o quando a sociedade e o feminismo digam que somos todos iguais.

A recompensa é que seus relacionamentos com o sexo oposto melhoram, a ponto de se tornarem mais interessantes e até curiosos. Como no meu caso, que sempre me divirto quando almoço com determinados colegas de trabalho – homens -, e concedo a eles os lugares de frente para a porta, na mesa do restaurante. Apenas com o olhar, eles me agradecem aliviados.
Por Que os Homens Fazem Sexo e as Mulheres Fazem Amor?

Veja também: