Tag: ‘Ed. Lua de Papel’

[resenha] O Morro dos Ventos Uivantes

5 de janeiro de 2012 - quinta-feira - 10:48h   ¤   Categoria(s): Literatura estrangeira, Resenhas, Romance

O Morro dos Ventos UivantesTítulo: O Morro dos Ventos Uivantes
Título original: Wuthering Heights
Autor: Emily Brontë
País: Reino Unido
Ano: 1847
Editora: Lua de Papel
Tradutor: Ana Maria Chaves
Páginas: 292
Sinopse: A obra conta a história da paixão entre Heathcliff e Catherine na fazenda chamada Morro dos Ventos Uivantes. Amigos de infância, eles são separados pelo destino, mas a união do casal é mais forte do que qualquer tormenta – um amor proibido que deixará rastros de ira e vingança.
Compre: compare preços

– Não pretendia rir de ti – disse ela. – Mas foi mais forte do que eu. Vá lá, Heathcliff, ao menos dá-me um aperto de mão! Por que estás aborrecido? Foi só porque te estranhei. Se lavares a cara e penteares o cabelo, tudo mudará. Mas sempre estás muito porco!
E ficou olhando, preocupada, para aquela mão toda suja que estava a apertar e para o vestido, com medo de tê-lo sujado.
– Não precisavas ter me tocado! – retorquiu ele, libertando bruscamente a mão, como se tivesse adivinhado o seu pensamento. – Sou porco, gosto de ser porco e serei sempre porco!
E, dizendo isto, saiu precipitadamente da sala, perante a satisfação dos patrões e a incredulidade de Catherine, que não compreendia por que razão seus comentários tinham dado lugar a tamanha manifestação de mau humor.

Avaliação:
Eu me interessei por comprar este livro porque sabia que era um clássico, mas também porque notei que nas livrarias estavam aparecendo várias edições dele, de diversas editoras. E pensava: “Por que é que este livro está tão em evidência?” Foi só depois de tê-lo comprado, manuseando-o em casa, é que li o pequeno selo vermelho na capa, onde diz que é o livro preferido do Edward e da Bella. Como eu somente assisti aos filmes, mas não li a saga Crepúsculo, eu não fazia nem ideia. De qualquer forma, esta pequena nota e a contracapa me deixaram bastante curiosa e me deram a entender de que se tratava de uma intensa história de amor.

A história é narrada através das lembranças de Ellen Dean, uma mulher que foi governanta nas propriedades Morro dos Ventos Uivantes e Granja dos Tordos, onde se passa o enredo. Suas memórias retornam no tempo para mais de 20 anos antes, quando um garoto chamado de Heathcliff foi retirado das ruas e trazido para a casa dos Earnshaw pelo próprio chefe da família.
Sendo o menino de pele escura e estando sujo e maltrapilho, fora logo tratado com desprezo por todos da casa, exceto por Catherine, filha do sr. Earnshaw, de quem ficou muito amigo. Desta amizade, cresce uma proximidade muito forte, o que acaba se tornando, naturalmente, um intenso amor.
Entretanto, poucos anos mais tarde, por força das conveniências sociais, Catherine casa-se com Edgar Linton, um dos filhos da respeitável família vizinha. A partir daí, inicia-se toda uma saga de ódio e vingança por parte de Heathcliff, que atingirá as famílias Earnshaw e Linton, juntamente com seus descendentes, causando-lhes constante e praticamente interminável sofrimento.

Infelizmente o livro não foi bem o que eu esperava. A intensidade que caracteriza a história de amor entre Catherine e Heathcliff é de um aspecto bastante negativo e a personalidade dos personagens me causava angústia e irritação.
Com a exceção de Ellen Dean e o sr. Lockwood (que é, na verdade, apenas um “recurso” na narrativa), todos os outros se encaixam em pelo menos uma destas terríveis características: malvado, manipulador, chantagista, egocêntrico, egoísta, orgulhoso, dramático ou mimado.
A energia emanada não é das mais agradáveis e eu não consegui ter prazer na leitura.

Sei que muita gente tem este livro como seu favorito e que se encanta com a história, e eu confesso que gostaria de ter enxergado as coisas desta forma. Talvez eu tenha sido pega de surpresa, com uma expectativa errada, e talvez se eu ler o livro novamente daqui a alguns anos, minhas impressões mudem.
Mais uma vez, como acontece com todo livro que não me agrada, estou aberta a discussões e explicações. Fiquem à vontade para me esclarecer qual foi a parte que eu não “captei”, rs.

Com relação ao livro em si, eu gostei bastante da capa da edição da Lua de Papel. Se a intenção era associar o livro à saga Crepúsculo, ficou perfeita! Dentro, nas páginas, a cada início de capítulo, tem uma espécie de marca d’água da imagem da flor da capa do livro.
O Morro dos Ventos Uivantes
Sendo um clássico de respeito, esta história teve inúmeras adaptações. No cinema, Wuthering Heights virou filme em 1920, 1939, 1954 (por Luis Buñuel), 1970, 1992 e 1998. Em 2003, a MTV fez uma versão adolescente, com a história se passando na Califórnia.
Adaptações em séries foram feitas em 1978 e 2009. No Brasil, o clássico virou novela em 1967 e 1973.

Quando estava pesquisando o nome do livro em japonês, encontrei uma versão em mangá que parece ser muito legal, na Amazon do Japão. Clique na imagem, que é possível olhar um trecho da revista.
O Morro dos Ventos Uivantes

Veja também: