Tag: ‘Paris’

Paris 2015 – a parte literária da viagem – II

30 de abril de 2015 - quinta-feira - 12:55h   ¤   Categoria(s): Blog

Finalmente eu arranjei um pouco de tempo pra escrever o post II da minha viagem pra Paris ♥! Desde que eu voltei de férias, já tive que enfiar a cara no trabalho e mal tive tempo de curtir o pós-viagem.

O post II é sobre as comprinhaaass!! \o/
Paris 2015

» LIVROS
Quando eu fui viajar, eu tinha na cabeça a meta de comprar 2 livros. Voltei de Paris com 9. NOVE!!! Tudo bem que 3 deles “não valem” pra entrar na fila de não lidos, rs. Mas mesmo assim… aff.
Bom, pelo menos comprei os que estavam na meta, hahaha!

Livrinhos de colorir
Eu nunca tinha parado pra olhar esses livros, nunca tinha nem chegado perto deles antes. Até que, ao entrar na Gibert Jeune, eu dei de cara com uma prateleira cheinha deles! De vários tamanhos e temas, com páginas destacáveis ou não, mas todos lindos!
Acabei comprando 3, não imediatamente da primeira vez que vi, nem todos na mesma loja. Mas foram 3, hehehe. E são eles que “não valem” pra fila. =D
Paris 2015
Tema: Paris
Paris 2015 Paris 2015
Tema: Art Nouveau
Paris 2015 Paris 2015
Tema: arte celta
Paris 2015 Paris 2015
Le petit Nicolas – Sempé/Goscinny
Desde as aulas de francês, lááá em 2004, eu ouvia falar do petit Nicolas. Ao longo dos anos, cheguei a xeretar os livrinhos dele quando via nas livrarias, mas nunca tomei a iniciativa de comprar.
Da outra vez em que fui pra Paris, eu não comprei porque não tinha nada planejado (pois a viagem era em grupo, por agência de turismo, e a gente ia passar pouquíssimos dias na cidade) e também porque não sabia a ordem dos livros na coleção.
Mas dessa vez eu não queria perder a nova oportunidade. Pesquisei direitinho, vi quais edições existiam, o preço, em que lojas poderia ter, etc. Era um dos livros da meta.
Paris 2015 Paris 2015Eu sempre quis ler as historinhas desse personagem porque é uma temática infantil, de linguagem mais simples, ótimo pra quem não quer passar muito perrengue de ficar indo no dicionário a tooodo momento.
Vamos ver se vai ser assim mesmo, rsrs.

Notre-Dame de Paris – Victor Hugo
Esse livro era o outro da meta. Um belo dia, eu inventei que, sempre que viajasse, procuraria comprar uma caneca do tipo souvenir clichê e um livro de um autor do país, no idioma original.
Eu escolhi Notre-Dame de Paris (ou O Corcunda de Notre-Dame, em pt-br) por alguns motivos:
- porque se passa na Paris medieval, em 1482, e há muita história como pano de fundo;
- por causa de um capítulo em específico, “Paris à vol d’oiseau”, dedicado a descrever a Paris da época (e eu “nem amo” esse tipo de coisa…);
- porque eu dei uma lida rápida na edição em francês que encontrei em uma Livraria Cultura e não me pareceu tão impossível quanto eu imaginava.
Paris 2015 Paris 2015 Paris 2015Eu cacei por várias livrarias uma edição que não fosse pocket e que tivesse um preço razoável, mas acabei desistindo. Era melhor ler o livro primeiro, que é a coisa mais importante a se fazer. Depois, se eu gostar, quem sabe eu não invente de colecionar edições dele?

Les Parisiens Comme Ils Sont – Honoré de Balzac
Sabe quando você está na livraria pra comprar um determinado livro mas um outro fica dançando na sua frente, te seduzindo? Pois é, foi o caso de Les Parisiens Comme Ils Sont, do Balzac. Fininho, pequeno, com um título pra lá de interessante e, ainda por cima, de um importante autor francês? Ai, inferno, vem cá que eu te levo, coisa linda!
É uma coletânea de crônicas publicadas inicialmente em jornais, e conta sobre a cidade e seus habitantes.
Paris 2015 Paris 2015

1000 Years Of Annoying The French – Stephen Clarke
Esse livro foi recomendação de um amigo, do tipo “Já que você curte história da França, lê esse”. Cheguei a ler pouco, um trecho que encontrei na internet, mas, do pouco que li, achei sensacional, tanto em relação à parte histórica quanto ao humor já anunciado no título.
E então que eu estava na Shakespeare and Company, me matando de emoção de estar lá, quando dei de cara com esse livro. Se fosse pra cometer a heresia de comprar um livro em inglês em Paris, que fosse em um lugar onde faria totalmente sentido. Voltei no dia seguinte na S&C.
Paris 2015 Paris 2015

A Year In The Merde – Stephen Clarke
Não contente, lembrei que esse autor tinha uma série de livros sobre a vida na França, a tal da série “Merde”. Pesquisei qual era o primeiro livro. Voltei mais uma vez na S&C.
Paris 2015 Paris 2015Destaque para o carimbo da S&C.
Paris 2015

Transperceneige – Lob, Rochette, Legrand
A lindíssima queridíssima fodíssima Editora Aleph lançou em março a HQ de ficção científica O Perfuraneve. Em um súbito clarão que eu tive quando estava na seção de quadrinhos da Fnac, lembrei que essa HQ é francesa. Lá fui eu importunar uma funcionária com meu francês ruim, sem saber quase nada sobre o livro:
- Madame, bonjour. Você poderia me ajudar, por favor? Eu estou procurando uma HQ, mas eu não sei o título em francês e também não sei os nomes dos autores. Sei que tem um trem que anda na neve, e é ficção científica.
- Ah, acho que sei qual é. Tem um seriado ou filme dele, não é? Vamos procurar no computador.
Depois de umas 3 tentativas de títulos, ela conseguiu encontrar pra mim! Dels abençoe essa mulher!
Paris 2015 Paris 2015Olha, esse livro pode não ser o mais importante que eu comprei em termos de literatura, mas com certeza é o mais lindo e o que mais valeu o esforço. =)

 
» MARCADORES DE PÁGINAS
Eu já mostrei também no instagram durante a viagem, mas quero mostrar de novo, porque são liiiiiiiiindoooooosss!!!
Paris 2015
Sainte Chapelle
Paris 2015 Paris 2015
Victor Hugo
Paris 2015 Paris 2015
Alexandre Dumas
Paris 2015 Paris 2015
Marcadores que ganhei na S&C quando comprei os livros lá.
Paris 2015

 
» SACOLAS
Sacola maravilhosa com a estampa de Tales from the Void, uma colaboração artística entre a S&C, The Cob Gallery e o grupo de artistas Le Gun
Paris 2015 Paris 2015
Saquinho de “papel de pão” onde veio o 2º livro que eu comprei na S&C (já que o primeiro eu levei dentro da sacola do Tales from the Void)
Paris 2015

 
———————

Aiai… Estou apaixonada pelas minhas compras! Não vejo a hora de começar a ler (e pintar também, rs). Pois é, ainda não tive tempo pra começar nenhum deles. Sacumé o trabalho, sacumé a fila. =D
Aliás, a fila… Vai ficar maior, mas paciência. A causa, dessa vez, é boa! =)
Reparem que todos os livros que eu comprei eram ou de autor francês/francófono ou de um assunto relacionado à França, inclusive os livrinhos de colorir. Felicidade sem fim!! ^____^

Para ler e ver fotos sobre os locais literários que eu visitei, vá para o post I.

Paris 2015 – a parte literária da viagem – I

13 de abril de 2015 - segunda-feira - 17:35h   ¤   Categoria(s): Blog

Entre os dias 30 de março e 10 de abril, eu fui viajar pra Paris.

Foi a 2ª vez que eu fui pra lá. A 1ª foi em 2011, mas fiquei na cidade somente por 3 dias, porque fazia parte de um roteiro maior, que pegou também Portugal, Espanha e algumas outras cidades da França.
Vai ter post sobre isso no meu blog pessoal, mas eu queria postar aqui a parte literária da viagem.

Este post I vai ter os seguintes tópicos:
- vi no metrô;
- locais que visitei;
- livros em museus.

O post II vai ter as compras. Não vou colocar aqui porque senão o bagulho fica gigantesco demais.

Algumas coisas vocês já viram no meu instagram, mas pra quem perdeu, posto algumas de novo.

» vi no metrô
O metrô de Paris tem muita propaganda, tanto nos corredores quanto nas estações. A maioria é de assuntos culturais, como teatro, cinema, exposições e livros. Vou chutar que uns 35% é de produtos de consumo e viagens.

Propaganda do livro Seis anos depois, do Harlan Coben
Paris 2015
Propaganda do livro do Jo Nesbø
Paris 2015
Harry Potter l’Exposition: em Saint-Denis, pertinho de Paris, na Cité du Cinéma. Vai de 4 de abril até 6 de setembro de 2015. Mais informações em www.harrypotterlexposition.fr.
Paris 2015

 
» locais que visitei
Vocês lembram que eu falei que uma das missões da minha vida era ir na Shakespeare and Company e comprar lá um livro de um autor francês? Pois é, consegui cumprir metade dela, rsrs. Na verdade, a S&C é especializada em livros anglófonos, então não encontrei nenhum livro em francês lá. Bom, até podia comprar um livro de um autor francês escrito em inglês, mas aí não faria sentido.
Paris 2015 Paris 2015Da primeira vez, eu fui só conhecer mesmo. Não tem foto de dentro porque não pode ficar tirando foto lá. O lugar é superapertadinho, entuchado de livros, visitantes e clientes. Imagina a bagunça e o incômodo que seria se pudesse tirar foto.
Aí eu voltei lá ainda mais 2 vezes, pra comprar 2 livros, um de cada vez, huahuahua! Uma das vezes estava meio muvucadinho, com fila pra entrar.
Paris 2015

A maison de Victor Hugo que fica na Place des Vosges, nº 6 é o local onde Victor Hugo morou entre 1832 e 1848. Infelizmente, ele estava fechado por conta de reformas para acessibilidade e museografia. A reabertura está prevista para 2 de junho. Mas deu pra tirar uma fotinho na porta. =)
Paris 2015

Inicialmente construído para ser um tributo a Sainte Geneviève, padroeira de Paris, o Panthéon foi laicizado, e nele hoje repousam célebres personagens da história francesa, entre eles, alguns escritores.
Cartazes explicando sobre Victor Hugo, Alexandre Dumas e Émile Zola
Paris 2015Cripta desses 3 escritores
Paris 2015 Paris 2015Túmulo do Victor Hugo
Paris 2015Túmulo do Alexandre Dumas
Paris 2015Túmulo do Émile Zola (tá bem ruim de ver, mas, acreditem em mim, rs, é o túmulo dele)
Paris 2015Estátua de Voltaire (o túmulo está atrás, esqueci de tirar foto)
Paris 2015
Também fui caçar o local onde a Gertrude Stein morou. Fica na rue de Fleurus, nº 27, e o prédio é habitado normalmente hoje.
Paris 2015 Paris 2015

A Bibliothéque Sainte-Geneviève fica próxima ao Panthéon. Ela apareceu no filme Hugo Cabret, quando o Hugo e a Isabelle vão pesquisar sobre Méliès.
Os visitantes só podem entrar na biblioteca acompanhados por um funcionário, que ficará junto com você dentro de um cercadinho bem no meio do salão da sala de leitura. A única coisa que é possível fazer é olhar, passar mal de deslumbre e tirar foto sem flash. Obviamente, não faz sentido permitir que turistas fiquem circulando entre as estantes e atrapalhando quem está querendo estudar. =)
Paris 2015

 
» livros em museus
Só umas fotinhos legais de uns livros antigos que tinham em alguns museus.
Paris 2015 Paris 2015 Paris 2015

Para ver as compras de livros e itens relacionados a leitura, vá para o post II.

[resenha] Paris – Tudo o que você sempre quis saber

3 de setembro de 2013 - terça-feira - 20:23h   ¤   Categoria(s): Almanaques, Infantojuvenil, Literatura estrangeira, Resenhas

Paris – Tudo o que você sempre quis saberTítulo: Paris – Tudo o que você sempre quis saber
Título original: Paris: everything you ever wanted to know
Autor: Klay Lamprell
País: Australia
Ano: 2011
Editora: Globo
Páginas: 96
Sinopse: Voltada para o público infanto-juvenil, a série ‘Proibido para adultos’ procura ser introdução para os pequenos leitores conhecerem algumas das cidades consideradas mais belas do mundo, naquilo que elas têm considerado por mais peculiar. O livro investiga um destino, com foco em revelar ‘coisas que valem a pena saber’ sobre a história, os costumes e os segredos locais – do ponto de vista da criança. Contém fotografias e tópicos que enfocam eventos históricos, monumentos, destaques arquitetônicos, comida, moda e estilo de vida de seus habitantes.

Arco do Triunfo
O imperador Napoleão encomendou um arco para comemorar suas vitórias nos campos de batalha. Mas o problema é que o monumento era tão grande que levou 30 anos para ficar pronto. A essa altura, Napoleão já havia perdido o poder de novo. Ainda bem que o rei Luís Felipe não guardou rancor e permitiu o término da obra.

Avaliação:
Pensem em um livro infantil lindo, cheio de ilustrações e fotos, com uma diagramação incrível, sobre a cidade da qual você é mais paga-pau. Paris – Tudo o que você sempre quis saber é este livro. Ele explica de forma simples e em linguagem mais leve sobre pontos turísticos, História, cultura e costumes da cidade.
Com cada assunto ou tópico abordado em 2 páginas, o livro fala, por exemplo, da Catedral de Notre Dame, do rio Sena, dos cães de Paris, de Asterix, de Napoleão, da importância da moda, da catacumba de ossos, do metrô, entre outros.
Logo na capa, há um aviso dizendo que é proibido para adultos, e nas primeiras páginas, também diz que não é um guia de viagem. Entretanto, apesar de ser um livro infantil, eu fiquei fascinada por ele, namorando durante muito tempo antes de ter a oportunidade de comprar. Durante a leitura, morria de amores pelos textos divertidos e pelas imagens de encher os olhos. E mesmo não sendo um guia de viagem, é bastante útil para você não ficar boiando sem entender nada da importância dos monumentos quando for viajar para Paris. Eu, particularmente, o trataria como livrinho de consulta cultural rápida, além de deixar na cabeceira para reler infinitamente.
E, ao invés de um texto longo nessa resenha, o melhor mesmo é postar algumas fotos dessas páginas lindas.
Paris – Tudo o que você sempre quis saber Paris – Tudo o que você sempre quis saber Paris – Tudo o que você sempre quis saber Paris – Tudo o que você sempre quis saber Paris – Tudo o que você sempre quis saber

[resenha] Quando Ela Se Foi

26 de junho de 2012 - terça-feira - 17:15h   ¤   Categoria(s): Literatura estrangeira, Policial, Resenhas, Suspense / Ação

Quando Ela Se FoiTítulo: Quando Ela Se Foi
Título original: Long Lost
Autor: Harlan Coben
País: EUA
Ano: 2009
Editora: Arqueiro
Páginas: 256
Sinopse: Dez anos atrás, Myron Bolitar e Terese Collins fugiram juntos para uma ilha. Durante três semanas, eles se entregaram um ao outro sem pensar no amanhã. Depois disso, os dois se reencontraram apenas uma vez, quando Terese ajudou Myron a salvar seu filho e então foi embora, sem deixar vestígios. Agora, no meio da madrugada, ela telefona – ‘Venha para Paris’. Terese pede a ajuda de Myron para localizar o ex-marido, Rick Collins, que telefonara depois de anos implorando que ela o encontrasse na capital francesa. Eles logo descobrem que Rick foi assassinado e que Terese é a principal suspeita. Porém algo ainda mais atordoante é revelado – perto do corpo havia longos fios de cabelo louros e uma mancha de sangue que o exame de DNA revelou pertencer à filha do casal. Só que sua única filha morrera em um acidente de carro muitos anos antes. Logo Myron se vê perseguido nas ruas de Paris e de Londres. As agências de segurança de quatro países parecem querer as mesmas informações de que ele precisa para desvendar a morte de Rick e o destino da filha que Terese pensava ter perdido para sempre.
Compre: compare preços

Recostei-me na cadeira, esperando que Terese estivesse pronta para falar. Lembrei-me do que Win tinha dito sobre o segredo dela, que era algo muito grave. Fiquei aflito. Meus olhos dardejavam de um lado para outro e foi então que algo chamou minha atenção.
A van branca.
Depois de um tempo, a pessoa se acostuma a viver dessa maneira. Sempre alerta. A gente olha ao redor e, quando identifica certos padrões, fica com a pulga atrás da orelha. Era a terceira vez que eu via a mesma van.

Avaliação:
Este é o 3º livro que eu leio do Harlan Coben, também o 3º com o personagem Myron Bolitar e seus amigos. Os anteriores foram Quebra de Confiança e Jogada Mortal.
Da série Myron Bolitar, de um total de 10 livros, somente 5 foram lançados no Brasil (marcados na lista abaixo com o nome em português), numa ordem totalmente aleatória.
Deal Breaker (1995) – Quebra de Confiança
Drop Shot (1996) – Jogada Mortal
Fade Away (1996)
Back Spin (1997)
One False Move (1998)
The Final Detail (1999)
Darkest Fear (2000)
Promise Me (2006) – A Promessa (lançado pela Editora Arx)
Long Lost (2009) – Quando Ela Se Foi
Live Wire (2011) – Alta Tensão

Não posso negar que ter lido uma nova aventura da série com um gap tão grande me causou um certo estranhamento. Apesar de as histórias não serem estritamente sequenciais, a linha do tempo é perceptível e alguns fatos de livros anteriores são citados.
Confesso que me causou certa comoção ao encontrar o trio Myron, Win e Esperanza cerca de 10 anos mais velhos (desde Jogada Mortal). Como já devo ter dito em outras resenhas, tratam-se de personagens tão carismáticos, tão únicos, tão reais nas suas personalidades, que você tem a sensação de que realmente os conhece e que se torna cada vez mais íntimo deles a cada livro que lê. Muitas vezes, as atitudes e frases que aparecem nas histórias fazem você pensar “Putz, isso é a cara do Myron!!” ou “Tinha que ser o Win pra dizer uma barbaridade dessas!”, e você ri alto.
Por este motivo, foi quase um choque ter a sensação de que o tempo passou, que algumas coisas na vida deles mudaram e você não ficou sabendo, que você não esteve lá para acompanhar.
Ok, isso parece um bocado de exagero, mas acredito que quem teve a oportunidade de ler livros (em especial, séries) com personagens tão envolventes deve entender o que senti.

Com relação à história em si, notei que a sua amplitude aumentou consideravelmente, tendo outros países como cenário e abrangendo terrorismo e instituições internacionais. Nota-se que o autor fez uma boa dose de pesquisa para poder incluir estes novos elementos em seu livro. Uma das descrições de Paris é de fazer o leitor sentir inveja de Myron.

Quanto à qualidade do enredo, não há muito mais o que dizer de Harlan Coben que eu já não tenha dito nas resenhas anteriores: li de forma atropelada, desesperada para saber a solução dos mistérios, não conseguia ir fazer xixi de tanto que o livro me prendia, e no final da história, todos os pontos foram amarrados de forma perfeita. Cheguei até a cogitar a possibilidade de parar de resenhar Harlan Coben (não necessariamente parar de lê-lo) para não ser tão repetitiva nos elogios a esse autor que, com razão, é chamado de “Mestre das noites em claro”.
Quando Ela Se Foi

Veja também:

[mapas] Hotel Ritz Paris

29 de março de 2012 - quinta-feira - 15:17h   ¤   Categoria(s): Literatura estrangeira, Mapas

Antigamente, no meu blog pessoal, eu gostava muito de ficar criando “séries”, como a seção “Palavra no Título”, que criei há algumas semanas aqui. Pelo visto, a mania não mudou, rs.

Esta nova seção, chamada “Mapas”, é sobre os interessantes lugares que aparecem nos livros que eu li e/ou resenhei. A princípio, serão lugares reais, que existem no mundo, que podem ser encontrados através do Google Maps / Street View / Earth etc e que você poderá visitar algum dia, se o lugar ainda existir.

E como uma boa babona, eu simplesmente preciso começar com Paris! =)

Local: Hotel Ritz – Paris – França
Livro: O Código Da Vinci – Dan Brown
Detalhes: É o hotel onde o personagem principal, Robert Langdon, se hospeda em Paris.

O Hotel Ritz fica na Place Vendôme, no 1er arrondissement de Paris. Abaixo, o próprio aplicativo do Google Maps. Se preferir ir para o mapa ampliado, clique no link abaixo da figura.


Ir para o mapa ampliado

Foto que eu tirei em uma das paradas do tour noturno de ônibus:
Hotel Ritz Paris

Algumas fotos de internet:
Hotel Ritz Paris Hotel Ritz Paris Hotel Ritz Paris Coco Chanel morou no Ritz durante muitos anos.
Hotel Ritz Paris Hotel Ritz Paris

Espero que gostem na nova seção! =) Conhecer o mundo através dos livros é maravilhoso, e agora com as ferramentas atuais que a internet oferece, fica facinho de ver onde e como é!

Veja também: