Tag: ‘Projeto Variedade Literária’

[resenha] O Encontro Inesperado

5 de março de 2014 - quarta-feira - 10:06h   ¤   Categoria(s): Desafios, Espiritismo / Religiões, Literatura nacional, Resenhas, Romance

O Encontro InesperadoTítulo: O Encontro Inesperado
Autor: Zibia Gasparetto ditado por Lucius
País: Brasil
Ano: 2013
Editora: Vida & Consciência
Páginas: 419
Sinopse: Em um relacionamento amoroso, uma mulher exigente e intratável, ciumenta, apegada, sufocou o companheiro que depois de sete anos de convivência, não suportando mais saiu de casa. Ela tentara o suicídio uma vez e ameaçava fazê-lo de novo caso ele não voltasse. Os pais dela a julgavam fraca e queriam protegê-la, mas a vida os impediu de socorrê-la. Quando todos pensavam que aconteceria o pior, a vida intercede a seu favor. Os três irmãos – Franco, Gisele e Carlos, surgem nesta história e os fatos começam a mudar. Então aconteceu o encontro inesperado.
Compre: compare preços

Ivo sentou-se em sua sala, pensativo. Às vezes tinha vontade de largar tudo, emprego, mulher, família. Mas controlava-se, temendo a reação de Miriam. Até quando teria de suportar aquela situação?
A cada dia ficava mais difícil voltar para casa. Ele não sentia mais atração por ela e isso fazia com que ela se queixasse ainda mais. O pior é que reclamava com a mãe, que tomava as dores dela, falava com o marido e, no dia seguinte, ele chamava sua atenção, dizendo que a filha era doente, tinha saúde delicada e ele precisava ser mais carinhoso.

Avaliação:
Os pais de Franco, Carlos e Gisele faleceram em um acidente de carro, quando voltavam da casa de um sobrinho, Ivo. Ele estava tendo problemas no casamento, pois sua esposa era extremamente ciumenta, insegura e mimada. Tendo sido criada por pais que a superprotegiam e faziam absolutamente todas as suas vontades, ela achava que o marido deveria naturalmente substituí-los.
Gisele possuía um pouco de sensibilidade espiritual e, alguns anos depois da morte de seus pais, sonhou com eles. Neste sonho, eles a tranquilizavam, dizendo que estava tudo bem, explicando que foram embora porque realmente havia chegado o momento deles e parabenizando os irmãos por terem conseguido, juntos, prosseguir com a vida apesar das dificuldades.
Um dia, Olga, mãe de Ivo e tia dos 3 irmãos, vai à casa deles para pedir ajuda. Franco era psicólogo e Olga queria que ele aconselhasse sua nora problemática. Aos poucos, a presença destes irmãos acaba causando grandes mudanças na vida de Ivo, de sua esposa e de todos ao redor.

Encontro inesperado ofereceu um pouco menos do que eu esperava de um livro espírita. Achei o enredo um pouco “normal demais”. Gosto de histórias complicadas, com espíritos perturbados, encarnações planejadas que acabam não dando certo e consequências a princípio desastrosas, mas que acabam caminhando para um final feliz. Este livro tem, sim, elementos espirituais, mas os ensinamentos que eles proporcionam são bem básicos e não acrescentam muito para quem já conhece o assunto.
De qualquer forma, é uma leitura prazerosa, tranquila e leve. É um romance que, mesmo não tendo grandes dramas, prende o leitor porque flui bem. Para mim, foi um ótimo passatempo enquanto estava à beira da piscina, durante as férias.

Este livro foi a meta de dezembro do Projeto Variedade Literária.
O Encontro Inesperado

Projeto: Variedade Literária – dezembro

4 de março de 2014 - terça-feira - 12:06h   ¤   Categoria(s): Desafios, Espiritismo / Religiões

Mas é muita falta de vergonha na cara, hahaha! Olha eu querendo falar de meta Dezembro/13 sem nem ficar vermelha! XD

Projeto: Variedade Literária

A meta do mês de dezembro do Projeto: Variedade Literária é um gênero polêmico. Ou simplesmente indiscutível. Well… deveria ser indiscutível, né?

Religião / Espiritualidade / Ateísmo
Eu me considero uma pessoa bastante espiritualizada, mas não necessariamente religiosa. Tenho algumas doutrinas e filosofias de vida que me agradam mais, sem seguir um caminho rígido e específico. De qualquer forma, acho interessante conhecer as diversas religiões do mundo porque, muitas vezes, elas refletem toda a cultura de um determinado povo.

Sugestões
As sugestões são poucas porque eu não queria ficar me estendendo demais, por motivos óbvios.

       

O que eu escolhi foi O Encontro Inesperado.

Para quem quiser ver a lista inteira dos gêneros por mês e as sugestões para cada mês que já passou, o post inicial do Projeto está aqui.

[resenha] A Princesa de Gelo

26 de janeiro de 2014 - domingo - 22:04h   ¤   Categoria(s): Desafios, Literatura estrangeira, Policial, Resenhas, Suspense / Ação

A Princesa de GeloTítulo: A Princesa de Gelo
Título original: The Ice Princess
Autor: Camila Läckberg
País: Suécia
Ano: 2002
Editora: Planeta
Páginas: 365
Sinopse: “A Princesa de Gelo”, primeira aventura de Erica Falck, uma biógrafa que encontra seu passado mergulhado num lago gelado de sangue. A história leva o leitor a acompanhar os passos de Erica e descobrir por que grandes segredos permaneceram tanto tempo escondidos e como o silêncio pode matar a alma.
Compre: compare preços

Por sorte, os olhos do cadáver estavam fechados, mas os lábios tinham uma coloração azul-clara. Uma fina camada de gelo se formara ao redor do seu dorso, escondendo a parte inferior do corpo completamente. O braço direito, manchado de sangue, caía debilmente da beira da banheira, e os dedos estavam mergulhados na piscina congelada de sangue no chão. Havia uma lâmina na beira da banheira.

Avaliação:
Na contracapa de A princesa de gelo está escrito que Camila Läckberg é a nova rainha do crime. As primeiras coisas que me passaram pela cabeça foram: “Uôu, que responsabilidade! Será que ela é tudo isso mesmo? Será que ela não se sentiu intimidada ao receber este título, já que todo mundo pensaria a mesma coisa que eu estou pensando?”
Só tinha um jeito de saber: lendo o livro.

Então, lá fui eu parar no pequeno povoado de Fjällbacka, na Suécia, onde, segundo a história, uma mulher chamada Alexandra Wijkner foi encontrada morta, com os pulsos cortados e congelada, dentro da banheira da antiga casa onde havia morado na infância.
Erica Falck, protagonista do livro, esteve morando em Estocolmo nos últimos anos, trabalhando como escritora de biografias, mas voltou a Fjällbacka por conta do falecimento de seus pais. Ela e Alexandra eram melhores amigas quando crianças, mas estiveram separadas durante 25 anos, desde que Alexandra fora embora repentinamente para Gotemburgo com sua família, sem nem ao menos se despedir de Erica. Mesmo não sendo policial, a escritora se vê envolvida nas investigações da morte da amiga, que, apesar das primeiras impressões, não foi suicídio.
Pouco a pouco, conforme evidências do crime começam a vir à tona, junto com elas, emergem também segredos enterrados há muito tempo no fundo das lembranças de alguns moradores do povoado.

A primeira coisa que eu posso dizer sobre A princesa de gelo é que este livro tem um enredo muito bem estruturado. Eu não sei se tenho condições de confirmar se Camila Läckberg realmente se compara a Agatha Christie, pois li apenas 1 livro da clássica escritora. Entretanto, gostei muito de algumas semelhanças de estrutura, como os milhares de segredos guardados e como quase todos os personagens são suspeitos do crime. À medida que a investigação avança e os segredos vão sendo revelados, as pontas vão sendo amarradas e o emaranhado da rede toma forma, acabando por explicar por que Alexandra foi assassinada. E, bem no finzinho, quando você acha que ainda há dúvidas pendentes de explicação, um último nó é atado e você tem a sensação de certeza que de nenhuma ponta ficou solta.

O que eu achei um pouco diferente nesse livro em relação aos outros que eu tenho lido (independentemente do gênero) é que não há nenhum personagem que se destaque em termos de personalidade. Todos são pessoas razoavelmente comuns no seu jeito de ser e nenhum deles é necessariamente apaixonante (como Myron Bolitar ou Alexia Tarabotti, por exemplo). Entretanto, isso não diminui em nada a qualidade do livro, pois o que prende o leitor é realmente o enredo e o seu desenvolvimento.

Uma certeza que eu tenho em relação à autora é que eu quero muito ler as sequências. Aos que têm repulsa por séries, muita calma: pelo que eu entendi, os livros são independentes, bem no estilo Harlan Coben. Além de querer ler mais histórias ótimas como as de A princesa do gelo, eu quero muito saber como vai evoluir a vida dos personagens que continuam aparecendo nos próximos livros.

Este livro foi a meta de novembro do Projeto Variedade Literária.
A Princesa de Gelo

Projeto: Variedade Literária – novembro

19 de janeiro de 2014 - domingo - 11:18h   ¤   Categoria(s): Desafios, Policial, Suspense / Ação, Terror / Sobrenatural

O ano já virou, o projeto já devia ter acabado, mas vamos que vamos! =D

Projeto: Variedade Literária

A meta do mês de novembro do Projeto: Variedade Literária é um gênero que eu gosto de ler porque são livros rápidos, que você devora desesperadamente, rs.

Suspense / Terror / Policial
Não é necessariamente meu tipo preferido de livro, mas eu gosto muito de histórias de assassinatos bizarros, sangue pra tudo que é lado, mistério intrincado, medo que consegue até matar a alma, segredos profundos, personagens complexos… As possibilidades para a loucura humana são infinitas.

Sugestões
As sugestões abaixo já podem ser consideradas todas clássicas.

       
       
       

O que eu escolhi foi A Princesa de Gelo.

Para quem quiser ver a lista inteira dos gêneros por mês e as sugestões para cada mês que já passou, o post inicial do Projeto está aqui.

[resenha] Existiu Outra Humanidade

30 de novembro de 2013 - sábado - 23:23h   ¤   Categoria(s): Literatura estrangeira, Mistério, Resenhas

Existiu Outra HumanidadeTítulo: Existiu Outra Humanidade
Título original: Existió Otra Humanidad
Autor: J.J. Benítez
País: Espanha
Ano: 1975
Editora: Planeta
Páginas: 207
Sinopse: Nesta obra, Benítez busca explicar o que ele considera a prova definitiva de que, há milhões de anos, existiu outra civilização no planeta. Mais de onze mil pedras, perfeitamente gravadas com sugestivos desenhos, dão testemunho de que certos habitantes da Pré-história tinham conhecimentos das ciências contemporâneas – biologia, botânica, náutica, astronomia. O conhecimento e as experiências deles se refletem nas pedras de Ica (Peru), cuja história é abordada neste livro.
Compre: compare preços

Essas noções precisas da anatomia de um tiranossauro, de um estegossauro, de um triceratop etc., e de seu ciclo biológico, só podem revelar um conhecimento profundo da fauna. Um conhecimento que só poderia se produzir coexistindo com esses seres.

Avaliação:
Eu resolvi comprar Existiu Outra Humanidade porque tinha lido um outro livro do J.J. Benítez, chamado O Enviado, e tinha gostado muito da proposta dele. Esses assuntos do tipo teoria da conspiração e mistérios da humanidade sempre me interessaram muito, não importando se são verdade ou mentira, afinal, eu sempre tendo a acreditar que possam ser verdade, hahaha!

Existiu Outra Humanidade afirma que, entre 200 milhões e 65 milhões de anos atrás, houve na face da Terra uma população de seres muito parecidos com os humanos, inteligente e supostamente muito mais evoluída que a nossa espécie atual.
O defensor principal desta teoria é o peruano Javier Cabrera Darquea, que encontrou, na década de 1970, em seu país, milhares de pedras com ilustrações nelas gravadas. Tais pedras pareciam ter a intenção de fazer o papel de livros, onde todo o conhecimento dessa humanidade foi depositado. São mostrados desenhos de animais pré-históricos, cartas celestes, mapas (aparentemente dos continentes da Terra naquele período), cirurgias, transportes aéreos, fontes de energia, entre outros. Segundo Cabrera, estes seres conviveram com os dinossauros, sabiam como fazer transplante cerebral e saíram do planeta quando previram que um grande cataclismo, causado por eles mesmos, estava para acontecer.

Se todas estas pedras são realmente verdadeiras, eu nunca vou saber dizer. Uma grande dúvida que ficava pairando sobre a minha cabeça era em relação a este livro ter sido escrito em 1975. Se o assunto é tão antigo assim, já deveria ter sido confirmado ou desmentido. Entretanto, eu dei uma pesquisada na internet e não encontrei nada muito conclusivo ou confiável, seja para “sim” ou para “não”. De qualquer forma, é bastante intrigante e provocador parar pra pensar que podemos não ter sido os primeiros seres “inteligentes” a habitar este planeta e, pior, que esta outra espécie era muito mais avançada que nós, em termos intelectuais, tecnológicos e até espirituais. Se tudo isso for verdade, onde fica o egocentrismo da nossa humanidade? Onde fica a nossa certeza de que somos ultraespeciais, únicos no universo, milagres da vida, topo da cadeia evolutiva?

É uma leitura que vale muito a pena pela reflexão que ela provoca e pela maneira de pensar que ela demanda do leitor. Se você tem a mente aberta, com certeza vai se divertir, digerindo com facilidade tudo que essa outra humanidade foi capaz de fazer.

Este livro foi a meta de outubro do Projeto Variedade Literária.
Existiu Outra Humanidade